Uma extensa investigação da CNN está sugerindo que James Brown, lendário cantor de Soul, teria sido assassinado.

O artista morreu no Natal, em 25 de Dezembro de 2006, e segundo o laudo médico a causa oficial foi um ataque cardíaco. A emissora, porém, fez uma reportagem contando com 140 pessoas em 9 estados, milhares de páginas de registros policiais, mais de mil páginas de mensagens de textos, entre outros, para entender melhor o falecimento de Brown.

Um dos pontos no qual a CNN toca é que o Dr. Marvin Crawford, que cuidou do músico, teria suspeitado desde o início a causa de sua morte.

Crawford revelou:

Ele mudou muito rápido. Era um paciente com o qual eu nunca achei que isso aconteceria… Mas ele morreu aquela noite, e eu levantei a questão: ‘O que aconteceu naquele quarto [de hospital]?’

Ainda segundo o médico, à época, ele recomendou que a família de James Brown fizesse uma autópsia, o que foi recusado por suas filhas, Yamma e Deanna. A CNN questionou ambas sobre o caixão do cantor estar supostamente vazio, mas não recebeu um retorno.

Morte de James Brown

Toda a investigação começou em 2017, quando a emissora recebeu um contato de Jacque Hollander, artista de circo que trabalhou com Brown nos anos 80. Ela alega que em 1988 ele teria a estuprado, e tem uma série de documentos e fitas que guardou ao longo de 30 anos com evidências contra James. Ela teria dito que alguém matou o cantor e muitas pessoas próximas dele acreditam que a autora do suposto crime teria sido a própria.

A reportagem ainda fala sobre a morte de uma das esposas do cantor, Adrienne, que se foi em 1996 após complicações de uma cirurgia plástica. O médico responsável pela mulher teria confessado que matou Adrienne após oferecê-la uma dose fatal de um medicamento, mas hoje, à CNN, ele nega.

A família de James Brown ainda não fez nenhum comentário sobre o assunto. Confira a reportagem completa clicando aqui.