Bryan Singer e Rami Malek (Bohemian Rhapsody)
Fotos: Divulgação/Wikimedia Commons
 

Bryan Singer, diretor original de Bohemian Rhapsody, vai faturar uma bolada com o filme mesmo após sua demissão.

O cara foi mandado embora da produção do filme que conta a história de Freddie Mercury por problemas de comportamento e, também, pelas diversas denúncias de abuso sexual que surgiram contra ele nos últimos meses.

Por conta de seu contrato, entretanto, é estimado que o diretor receba algo em torno de 150 milhões de reais (U$ 40 mi) dos lucros do longa. Bohemian Rhapsody vem quebrando recordes de bilheteria, já ganhou vários prêmios e ainda está concorrendo ao Oscar.

Singer foi demitido da produção faltando apenas duas semanas para que ela chegasse ao fim, e Dexter Fletcher assumiu a posição. O crédito, entretanto, ficou com Bryan.

Fontes afirmam que a Fox está procurando opções legais para rever suas obrigações financeiras com o diretor, e ao que tudo indica, o estúdio não está nem um pouco afim de entregar essa grana ao cara. O cachê combinado para Singer no início da produção foi de 10 milhões de dólares.

Bohemian Rhapsody vs. Bryan Singer

Atores, produtores e todos os envolvidos no filme do vocalista do Queen estão evitando ao máximo tocar no assunto Bryan Singer.

O diretor foi ignorado nos agradecimentos do Globo de Ouro, onde Bohemian Rhapsody fez história. Poucos dias depois, surgiram mais quatro denúncias de abuso e pedofilia contra o cara, como te contamos por aqui.

Tenso.

LEIA TAMBÉM: Brian May se explica após “defender” diretor de Bohemian Rhapsody