La Casa de Papel
Foto: Reprodução/Netflix
 

La Casa de Papel, a série fenômeno da Netflix, está passando por maus bocados na justiça.

Não precisa nem ter assistido à produção da plataforma de streaming para saber que os criminosos da trama usam uma máscara com o rosto do famoso pintor espanhol Salvador Dalí. O item virou moda e tema de fantasias no mundo inteiro nos últimos meses.

Agora a Fundação Gala-Dalí, que protege o legado do artista desde 1983, quer vetar o uso destas máscaras por falta de pagamento dos direitos de imagem de Dalí.

Em comunicado, a fundação declarou (via Hypeness):

Estamos em vias de regularizar os usos do direito de imagem de Salvador Dalí. Qualquer pessoa que pretenda exercer ou explorar alguns desses direitos, deve ter a autorização prévia da fundação. Se a fundação tomar conhecimento de que esses direitos foram violados, tenta resolver a situação, exigindo a regularização dos usos não autorizados.

De acordo com a imprensa espanhola, a Gala-Dalí está interessada no faturamento da série, que já ultrapassa os 12,2 bilhões de reais. Eles, por outro lado, negam que a questão seja financeira.

Já as empresas Atresmedia e Vancouver Media, que são responsáveis pelo conteúdo do seriado, jogam a culpa nos criadores da série e no departamento jurídico, que os orientou a prosseguir com a peça mesmo sem autorização. A Netflix mantém a mesma posição.

E agora?

La Casa de Papel já tem duas temporadas disponíveis na plataforma.

LEIA TAMBÉM: ao som de “Bella Ciao”, elenco de La Casa de Papel começa a gravar Parte 3