Michael Jackson
Foto: Wikimedia Commons
 

Estreou no festival de cinema de Sundance na última sexta-feira (25) o documentário que explora as diversas acusações de abuso sexual contra Michael Jackson.

Como te contamos por aqui, Leaving Neverland é dividido em duas partes e conta com depoimentos de James Safechuck e Wade Robson, que dizem terem sido abusados por Jackson nos anos 90, quando tinham entre 7 e 10 anos.

Após a exibição da produção dirigida por Dan Reed — que tem 4 horas de duração no total –, os acusadores subiram ao palco do evento e foram recebidos com aplausos. Na internet, críticos e profissionais do meio que assistiram ao documentário o descrevem como “perturbador”, dizendo ainda que muitos “deixarão de ouvir Michael Jackson” após assisti-lo.

De acordo com este artigo da Consequence of Sound, Jackson chegou a realizar um “casamento de mentira” com Safechuck, na época com 9 anos, para simbolizar o amor entre os dois. Outro relato dá conta também que Michael tinha um alarme que tocava quando havia visitas na casa, avisando que as crianças deveriam se vestir.

O documentário ainda conta com áudios e bilhetes do cantor aos garotos, e Robson explica que foi ameaçado pelo artista no passado para negar que tenha sido molestado.

Leaving Neverland

Durante uma sessão de perguntas e respostas no evento, Wade Robson foi questionado sobre a reação dos fãs — que chegaram a protestar no Sundance. Ele disse (via Billboard):

Eu acho que não preciso dizer nada a eles, exceto que eu entendo que é muito difícil de acreditar. Porque de certa forma, não muito tempo atrás, eu estava na mesma posição que eles estavam. Mesmo que isso tenha acontecido comigo, eu ainda não conseguia acreditar. Eu ainda não conseguia acreditar que o que Michael fez comigo foi uma coisa ruim. Só podemos aceitar e entender algo quando estivermos prontos.

Leaving Neverland estreia ainda este semestre na HBO.