Kathleen Hanna (Bikini Kill) e Courtney Love (Hole)
Fotos: Wikimedia Commons
 

A volta do Bikini Kill, banda influente do movimento Riot Grrrl, deixou muitos fãs felizes. Mas não inclua Courtney Love nisso.

A frontwoman do também influente Hole comentou em uma publicação que pedia por mais shows na curta turnê do grupo, que já está quase inteira esgotada. Afiada como sempre, Love disse:

Fale por você. Maior farsa da história do rock and roll.

Ao receber o apoio de outros usuários, Courtney ainda foi além, concordando que o Riot Grrrl foi um movimento que “se matou”. Em um comentário adicional, a artista falou:

É pior quando eu falo a verdade sobre a indústria complexa e masculina do rock. Mas pelo menos eu tenho a melhor visão. Duas daquela banda são totalmente amadoras. [Kathleen] Hanna é um hype bom, cara. Mas sua personalidade é um ‘DIY’ absurdo e diletante. Uma grande ideia que elas não conseguem cumprir, porque são uma bosta. Isso é tudo!

Tenso.

Courtney Love vs. Kathleen Hanna

Não pense você que essa treta é coisa de hoje ou puramente influenciada por gosto musical.

Lá em 1995, Kathleen e Courtney se conheceram em um backstage de festival, e a vocalista do Bikini Kill teria provocado a líder do Hole. Rumores dão conta que Hanna fez uma brincadeira envolvendo a filha de Love com Kurt Cobain, Frances Bean, na época com 3 anos, e o uso de drogas.

Enquanto estava grávida da menina, Courtney Love foi acusada de usar heroína por uma revista americana e prejudicar sua gravidez.

O resultado teria sido Courtney metendo um soco na boca de Hanna — mas o guitarrista do Hole, Eric Erlandson, afirma que ela arremessou doces e um tapa no rosto da artista.