Bryan Singer (Bohemian Rhapsody)
Foto: Wikimedia Commons
 

Bryan Singer tem mais quatro sérias acusações de abuso sexual na conta.

Uma investigação do portal The Atlantic (via CoS) expôs que mais quatro homens — na época com idades entre 13 e 18 anos — denunciaram o diretor de Bohemian Rhapsody por comportamento inapropriado.

Nos últimos meses, Singer foi processado por estuprar um rapaz de 17 anos durante uma festa em 2003, o que ele nega. Além desta acusação e das novas, o diretor ainda tem mais duas, uma de 1997 e outra de 2014.

A reportagem foi fruto de 12 meses de investigação com diversos jornalistas e mais de 50 fontes.

 

Suposto abuso de Bryan Singer

Um dos quatro homens, chamado Victor Valdovinos, revelou que foi vítima de Singer em 1998 durante as filmagens do filme O Aprendiz, quando tinha 13 anos. O diretor teria encurralado o garoto em um vestiário, pegado em suas genitais e o masturbado. Os outros homens revelaram ter feito sexo com Bryan com idades entre 15 e 17 anos.

A reportagem cita:

O perfil de Singer que surge é de um homem perturbado que se rodeou de meninos adolescentes vulneráveis, muitos deles distantes de suas famílias. Seus relatos dão conta que Singer não atuou sozinho; ele tinha ajuda de amigos e associados que levavam jovens para ele.

Sobre esta “ajuda” de amigos que Bryan Singer teria recebido, a publicação inclui o nome do presidente da Digital Entertainment Network (DEN), Marc Collins-Rector, como abusador de um dos homens.

Andrew Brettler, advogado do diretor, negou as acusações nesta quarta-feira (13). Já Singer declarou:

Eu sei há algum tempo que [poderia haver] um artigo negativo sobre mim. Eles contataram meus amigos, colegas e pessoas que nem conheço. No clima de hoje, onde carreiras estão sendo prejudicadas por meras acusações, o que [estes repórteres estão] tentando fazer é um descaso imprudente pela verdade, fazendo suposições que são fictícias e irresponsáveis.

LEIA TAMBÉM: Diretor de “Bohemian Rhapsody” agradece após ser ignorado no Globo de Ouro