John Entwistle do The Who em 1981
Foto: Wikimedia Commons
 

O The Who é uma banda que pode afirmar ter mantido sua formação original até onde foi possível, mas nem sempre as coisas acontecem a favor.

O lendário grupo, que tem ao todo 55 anos de estrada, sofreu duas grandes perdas na carreira — o baterista Keith Moon, que se foi em 1978 após uma overdose, e o baixista John Entwistle, morto em 2002 após um infarto. E foi justamente a morte de Entwistle que colocou a banda em uma situação complicada.

Naquele ano, após se apresentar apenas uma vez em 2001, o The Who se preparava para sair em turnê com um novo show — o último disco do grupo, à época, era It’s Hard, de 1982. No dia 27 de Junho de 2002, porém, um dia antes da início do giro de shows, os planos mudaram.

John estava hospedado no Hard Rock Hotel and Casino para uma apresentação da banda em Las Vegas, acompanhado de uma prostituta. Depois de uma noite de comemoração, o baixista foi encontrado morto pela moça na manhã do dia seguinte — o dia do show –, vítima de um infarto causado pelo uso excessivo de cocaína.

O The Who, agora apenas com Pete Townshend e Roger Daltrey da formação original, decidiu por não cancelar a turnê, mas apenas adiar os dois primeiros shows. A primeira apresentação acabou acontecendo em 1° de Julho daquele ano, e os membros homenagearam Entwistle e vestiram preto durante toda a turnê.

À época, em uma entrevista, Townshend chegou a dizer que a banda acabaria, o que não aconteceu. Inclusive, o The Who lança disco novo neste ano — saiba mais clicando aqui.

John Entwistle ainda foi homenageado por bandas como Rush, Oasis e Red Hot Chili Peppers pouco após sua morte. No seu lugar o grupo britânico recrutou Pino Palladino, baixista contratado que já trabalhou com nomes como D’Angelo e John Mayer.

   
 
Compartilhar