James Hetfield (Metallica) Zac Efron Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile
Foto: Reprodução/Instagram
 
Ouça o novo single da Majur!

Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile, longa com James Hetfield, finalmente ganhou uma data de estreia.

O filme que irá retratar a história do serial killer Ted Bundy será exibido no aclamado Sundance Film Festival, nos Estados Unidos, entre os dias 24 de Janeiro e 3 de Fevereiro. Ainda não há uma data de estreia no Brasil.

Além do vocalista do Metallica como o policial Bob Hayward, o longa dirigido por Joe Berlinger — que trabalhou com a banda em Some Kind of Monster (2004) –, conta com Zac Efron, Lily Collins, John Malkovich, Jim Parsons, Haley Joel Osment, Kaya Scodelario e mais no elenco.

Leia a sinopse do filme:

Ted (Zac Efron) é lindo, inteligente, carismático, carinhoso. E a cautelosa mãe solteira Liz Kloepfer (Lily Collins) não consegue resistir aos seus encantos. Para ela, Ted é um presente dos céus, e ela logo se apaixona perdidamente pelo jovem arrojado. Um exemplo de felicidade doméstica, o casal feliz parece ter descoberto tudo… até que, do nada, sua vida perfeita é quebrada. Ted é preso e acusado de uma série de assassinatos cada vez mais terríveis. A preocupação logo se transforma em paranoia — e, à medida que as evidências se acumulam, Liz é forçada a considerar que o homem com quem ela compartilha sua vida pode realmente ser um psicopata.

Ted Bundy

Nascido em 1946, Theodore Robert Cowell cometeu diversos crimes até ser morto na cadeira elétrica em 1989 na Flórida, aos 42 anos de idade.

Bundy matou mais de 30 mulheres entre os anos de 1974 e 1978 e tinha métodos sádicos para cometer seus crimes: ele chegou a decapitar algumas delas e era comum que voltasse à cena do crime para ter relações sexuais com os corpos das suas vítimas.

Ted chegou a se descrever como “o filho da puta mais sem coração que você já viu” e um dos seus próprios advogados disse que ele era “a perfeita definição do mal”.

Muito inteligente, Ted Bundy se formou em psicologia e foi elogiado pelos professores com os quais teve aula. Em 1971 ele trabalhou em uma linha de prevenção do suicídio em Seattle ao lado da ex-policial Ann Rule, que depois de ficar sabendo dos crimes disse que não via nada de errado no colega de trabalho e acabou escrevendo um livro chamado “The Stranger Beside Me”.