Bryan Singer e Rami Malek (Bohemian Rhapsody)
Fotos: Divulgação/Wikimedia Commons
 
Ouça o novo single da Majur!

É, a relação de Bryan Singer com todo o resto da equipe que trabalhou em Bohemian Rhapsody parece não ser nada amigável.

O diretor original do filme que conta a história de Freddie Mercury e do Queen não foi citado em nenhum discurso do elenco e da banda no Globo de Ouro. O longa levou o grande prêmio de Melhor Filme de Drama, enquanto Rami Malek foi coroado como Melhor Ator de Drama por dar vida a Mercury.

Apesar de não ser citado, Singer usou seu Instagram para um agradecimento singelo, onde compartilhou uma foto dos bastidores e disse apenas:

Que honra. Obrigado.

Bryan Singer, Bohemian Rhapsody e Acusações de Abuso

Singer foi demitido das filmagens na metade da produção do longa, e boatos dão conta que os motivos seriam sua falta de responsabilidade além de brigas com Malek no set. O diretor, porém, alega que sua ausência aconteceu para que pudesse cuidar de um dos pais, que está doente. Ele foi substituído por Dexter Fletcher, mas ficou com os créditos da direção.

Para adicionar à bagagem do cara, Singer ainda foi processado por estuprar um rapaz de 17 anos durante uma festa em 2003, o que ele nega. Além desta acusação, o diretor ainda tem mais duas, uma de 1997 e outra de 2014.

Bret Easton Ellis, conhecido autor de livros que mora em Los Angeles, disse que se relacionou com pessoas que relataram ter ido a orgias promovidas por Singer e pelo diretor Roland Emmerich, supostamente com menores.

View this post on Instagram

What an honor. Thank you #HollywoodForeignPress

A post shared by Bryan Singer (@bryanjaysinger) on