Amarelo Manga flerta com o experimentalismo no EP Aversão
Foto: Reprodução / Facebook
 

Agora como banda com quatro integrantes, a Amarelo Manga aposta na experimentação em Aversão, seu novo EP.

As faixas passeiam pelo experimentalismo e minimalismo, ao mesmo tempo em que trazem acordes e riffs inspirados. Essa sonoridade acaba transformando o registro em algo profundo e cru, no melhor sentido da palavra.

Os rapazes explicam que esse é um trabalho de transição. Em 2018 eles deixaram os palcos um pouco de lado e decidiram focar em registrar as canções que já costumavam tocar ao vivo.

O título surge dessa repulsa agressiva que as pessoas sentem umas com as outras nos últimos tempos. Além disso, também se baseia no sentimento de “enjoar” das próprias músicas e desenvolver uma rejeição a elas por causa da repetição em ensaios e shows. “Acho que o EP foi uma mistura da tentativa de dar fim a esse problema e, ao mesmo tempo, de retroalimentá-lo. Mas a parte boa é que agora temos terreno livre para músicas novas”, comenta Rafael Frejat (voz e guitarra).

Aversão foi produzido pelo próprio grupo e mixado e masterizado por Guilherme Chiappetta (Raça, Terno Rei).