Elvis Costello no MusiCares 2011
Foto de Elvis Costello via Shutterstock
 

O Saturday Night Live é um dos programas televisivos há mais tempo em exibição nos Estados Unidos. Desde 1975 ele ganha gradativa fama graças às suas famosas esquetes de comédia, que parodiam aspectos da cultura local. O programa também chama atenção por conta de seus convidados, muitas vezes atores ou músicos.

Em toda a história do SNL, um dos convidados que mais chamou atenção (e gerou polêmica) foi o compositor britânico Elvis Costello. Em 1977, há 41 anos, Costello foi banido por conta de um boicote às ordens do programa.

 

Sex Pistols? Ramones?

Trabalhar em televisão não é tão fácil quanto pode parecer! Produzir um programa ao vivo, gerenciar convidados e mais várias questões acerca da preparação do show não é tarefa simples. Todo tipo de imprevisto pode acontecer e nada está 100% confirmado até o início da gravação. E os preparativos para a apresentação do dia 17 de Dezembro de 1977 conseguiram aglomerar vários desses imprevistos.

Os planos iniciais contavam com a participação do grupo inglês Sex Pistols. Na época, a banda tinha acabado de lançar o icônico álbum de estreia Never Mind the Bollocks, Here’s the Sex Pistols. A divulgação do material em um dos programas de maior audiência nos Estados Unidos cairia muito bem. No entanto, o empresário do grupo, Malcolm McLaren se enrolou com os prazos de pedidos de visto para os integrantes do grupo, que teriam que fazer uma viagem internacional para se apresentarem.

O plano B da produção do programa foi outro grande nome do punk em alta na época. Tentaram convocar o Ramones, mas a banda recusou pois não queria ser a atração substituta. Em sua autobiografia “Commando”, Joey Ramone citou o episódio:

Quando nos ligaram para saber se poderíamos substituí-los (o Sex Pistols), nós dissemos ‘Nós não seremos substitutos para ninguém’. Foi a única chance que tivemos de estar no Saturday Night Live. Foi isso. Foi um bom movimento para a nossa carreira.

Foi aí que o programa recorreu a um plano C: Elvis Costello e sua banda de apoio The Attractions. Como estavam em turnê de divulgação do álbum de estreia My Aim Is True, aceitaram a proposta.

 

“Não há motivo para tocarmos esta música aqui”

O texto começou falando das dificuldades da produção no mundo televisivo. Vamos reforçar isto: até o que o artista toca é pensado previamente. Não é só chegar e tocar qualquer coisa que vier na cabeça. Por sinal, lembram da edição de 1968 do Festival Internacional da Canção da Rede Globo?

Tanto a gravadora quanto o produtor do SNL, Lorne Michaels, fizeram questão que Costello tocasse o principal single do álbum, “Less Than Zero“. A música fala sobre um político britânico chamado Oswald Mosley e, por isso, talvez não tivesse o mesmo sentido para o público norte-americano.

Na hora da performance, Costello e a banda deixaram a produção espantada, e o público sem entender nada, ao tocar apenas alguns segundos da música de trabalho. Ao vivo na televisão, o cantor parou sua apresentação e se dirigiu ao microfone para dizer “Lamento, senhoras e senhores, mas não há motivo para tocarmos esta música aqui”. Logo depois, a banda começou a tocar a faixa de protesto “Radio Radio“, que sequer estava no álbum de estreia.

Elvis tinha sugerido anteriormente a canção, mas a Columbia achou melhor contar com uma música já estabelecida para a apresentação. A banda surpreendeu a todos com a atitude inesperada. Michaels, o produtor, ficou furioso e arremessou sua prancheta no palco.

Pete Thomas, o baterista da The Attractions, usou na ocasião uma camisa com “Obrigado, Malc” escrito, em “agradecimento” aos problemas enfrentados pelo empresário do Sex Pistols.

Vale ressaltar que a letra de “Radio Radio” é uma crítica aberta contra a rádio BBC, principalmente pelo fato de que a emissora britânica baniu algumas músicas de punk de sua programação. Uma delas era “God Save The Queen”, do Sex Pistols.

 

Inspirado no Punk e em Jimi Hendrix?

A atitude de Costello e sua banda condiz muito com os padrões do movimento punk, do qual participaram também os grupos originalmente planejados para se apresentarem naquela noite. Mas a inspiração para a atitude pode ter vindo também de outro nome.

Jimi Hendrix fez algo semelhante em 1969. Em um programa da BBC apresentado pela cantora pop escocesa Lulu, Jimi parou sua performance do hit “Hey Joe” para prestar uma homenagem ao grupo Cream, que haviam anunciado seu fim recentemente. “Nós gostaríamos de parar de tocar este lixo e dedicar uma música para o Cream”, disse Hendrix ao microfone antes de começar a tocar uma versão de “Sunshine Of Your Love“.

 

22 anos de “greve de Costello”

Ir contra o sistema, ao mesmo tempo que deu popularidade a Costello e aos The Attractions, resultou em um “castigo” de mais de 20 anos. Após o episódio, eles foram proibidos de reaparecer no SNL até 1989.

Os 22 anos de ausência duraram até a comemoração dos 25 anos do programa. Elvis “interrompeu” a performance de “Sabotage” do Beastie Boys, e repetiu o mesmo discurso de 1977. Junto à banda, eles logo começaram a tocar “Radio Radio”, parodiando o épico momento. Concordemos que foi uma boa sacada!

Mas Elvis não foi o único artista musical a ser banido do programa. Entre outros nomes, a produção do Saturday Night Live já teve problemas com nomes como Rage Against The Machine e Sinead O’Connor.