Judas Priest no Solid Rock em SP
Foto por Stephanie Hahne
 

Há de se admitir que o público do rock é difícil de agradar. Mesmo assim, o festival Solid Rock se propôs a unir tribos em São Paulo no último sábado (10), quando colocou Judas Priest e Alice in Chains para tocarem no mesmo palco. Quer um spoiler do resultado dessa mistura? Uma noite para entrar na história.

Depois de passar por Curitiba, o evento da T4F tomou conta do Allianz Parque em um dia fechado, com uma chuvinha chata aqui e ali, mas que não desacelerou os 35 mil grunges e os headbangers que esperavam por suas bandas do coração.

Quem abriu a noite foi o grupo britânico Black Star Riders, que nada mais é do que a mais recente formação do Thin Lizzy, renomeada e reformulada para seguir em frente com novo material e uma nova energia. Comandada pelo animado vocalista Ricky Warwick, a banda passeou por seu repertório, com atenção especial ao último disco de estúdio, Heavy Fire (2017), mas não deixou de lado sucessos da banda nos anos 70, como “The Boys Are Back in Town” e “Jailbreak”.

Black Star Riders no Solid Rock Festival, 2018

Às 19h30 em ponto, recebido por um céu finalmente sem chuva, chegou o Alice in Chains sob gritos histéricos do público.

Abrindo com “Check My Brain”, de Black Gives Way to Blue (2009), a banda liderada pelo carismático William DuVall mostrou a que veio logo nos primeiros acordes. Mesmo de longe dava para perceber o quanto os membros estão sintonizados, apesar dos longos 30 anos de estrada, e o impacto gigantesco desta energia na sonoridade e na entrega da banda durante a apresentação.

Navegando entre os vocais poderosos de DuVall — que carregam muito bem as músicas cantadas pelo saudoso Layne Staley –, solos de guitarra impecáveis de Jerry Cantrell e a bateria carregada de Sean Kinney, o grupo tocou hits já conhecidos como “Would?”, “Down in a Hole”, “Hollow”, além da nova “The One You Know”, do disco Rainier Fog (2018).

A catarse da apresentação veio com “Man In The Box”, responsável por fazer o estádio inteiro cantar e pular. O show terminou com “Rooster”, e o Alice in Chains saiu do palco fazendo com que os fãs clamem por um retorno breve dos caras ao Brasil.

Alice in Chains no Solid Rock Festival, 2018

Com um pequeno atraso e tocando “War Pigs”, do Black Sabbath, nas caixas de som para anunciar sua chegada, o Judas Priest finalmente tomou o palco do Allianz Parque.

A banda abriu com “Firepower”, faixa título de seu disco lançado no ano passado, dando a oportunidade dos fãs mostrarem que estão com a música relativamente nova na ponta da língua. A apresentação seguiu com hits como “The Ripper”, “Turbolover”, “Hell Bent For Leather” — nesta hora, Halford ressurge no palco pilotando uma Harley Davidson branca e vestindo outro modelito –, “Painkiller”, “Electric Eye”, entre outras.

Um grande destaque da noite veio na execução de “Freewheel Burning”, que contou com uma homenagem ao piloto brasileiro Ayrton Senna, morto em 1994. O tributo veio um dia antes do GP do Brasil, que consagrou Lewis Hamilton campeão. Confira o momento no vídeo abaixo.

Quem chamou atenção e fez um show à parte foi o carismático guitarrista Richie Faulkner, que substituiu K. K. Downing em 2011. O músico mostra uma segurança invejável no palco, interagindo a todo momento com os fãs da grade e fazendo diversas estripulias enquanto domina os riffs e solos das canções da banda.

O bis ficou com “Breaking The Law” e “Living After Midnight”, com o Judas Priest prometendo que volta em breve. A gente agradece!

Confira fotos exclusivas do festival logo abaixo. O Solid Rock ainda segue para Belo Horizonte no dia 14 de Novembro.

Solid Rock Festival @ São Paulo, 2018