Roger Waters em Curitiba
Foto por Aline Krupkoski
 

Roger Waters continua sua turnê pela América do Sul e se aqui no Brasil ele enfrentou problemas, no Uruguai a situação foi completamente diferente.

Por lá, segundo a Agência Brasil, o lendário integrante do Pink Floyd foi nomeado “visitante ilustre” da capital Montevidéu, e durante o seu show no último dia 03, falou a respeito de como o país, “mesmo com uma pequena população, é enorme em termos de influência para o mundo”.

Ele ainda elogiou o ex-presidente Pepe Mujica e disse:

Agradeço a Pepe Mujica, entre outros, por ter tido a inteligência e o coração para sugerir que existem outros caminhos, o caminho da comunidade. Todos temos que aprender a atuar como uma comunidade global de humanos.

Waters ainda disse que, em coletivo, todas as pessoas do planeta deveriam ser iguais diante de leis internacionais dos direitos humanos e a “feia lacuna” que separa os “imensamente ricos do resto dos seres humanos” deveria ser reduzida.

O músico ainda exaltou o fato de que o Uruguai conseguiu “rejeitar as políticas neoliberais que se espalharam por quase todo mundo ocidental” e mais uma vez agradeceu nossos vizinhos.

Roger Waters no Brasil

Vale lembrar que a passagem de Roger Waters pelo Brasil foi marcada por protestos políticos: logo no primeiro show de São Paulo ele dividiu a plateia ao chamar o então candidato e agora presidente eleito Jair Bolsonaro de neofascista.

Em Curitiba, às vésperas do segundo turno das eleições, Waters sabia que só poderia se pronunciar até as 22 horas, então faltando apenas alguns minutos para esse horário, mandou um “Ele Não” no telão, e foi recebido com vaias da imensa maioria do estádio.

 
 
Compartilhar