Roger Waters
Foto: Divulgação
 

Roger Waters continua sua turnê pelo Brasil e ainda tem quatro shows para fazer por aqui.

Antes de tocar em Belo Horizonte, no Rio de Janeiro, em Curitiba e em Porto Alegre, o músico britânico deu uma entrevista para o jornal Folha de São Paulo e falou bastante a respeito de suas posições políticas, do seu show e de como enxerga as coisas no Brasil e no mundo.

Quando questionado sobre o fato da plateia ter ficado dividida em São Paulo e se ele já havia imaginado que seria assim, Waters falou:

Viajando pelo mundo, fica claro para mim que o problema fundamental está no desrespeito aos direitos humanos. O mundo é organizado por oligarquias e corporações, que deixam uma mínima fatia das pessoas numa situação sadia.

Então eu digo ‘Obrigado, São Paulo’, obrigado às pessoas que fizeram aquele barulho. Lamento que vocês estejam brigando uns contra os outros, discutindo coisas fundamentais sob a ótica de alguém como Bolsonaro. O que ele fala não deveria ser assunto para nenhuma argumentação em qualquer lugar do mundo, mas é uma coisa real e assustadora.

Roger Waters disse que conversa com várias pessoas locais para entender tudo que cerca o panorama político atual, incluindo a prisão de Lula e o impeachment de Dilma, e teve ainda palavras mais duras para o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, quando falou que o chefe da sua equipe de segurança no Brasil é eleitor do cara e diz que ele é uma “coisa nova” na política, além de “incorruptível”:

Pergunto se ele está debochando de mim. Bolsonaro está na política há 30 anos e é totalmente corrupto! E é louco. Vingativo e insano.

Está claro que ele não irá fazer nada para romper o sistema vigente. Ele vai acelerar ao máximo essa onda que está destruindo o mundo. Vai facilitar as coisas para quem está roubando dinheiro das pessoas pobres. Vai militarizar a polícia. Vai tornar tudo mais difícil para as classes trabalhadoras. Grito isso para quem quiser ouvir. É o que vai acontecer se esse cara for eleito.

LEIA TAMBÉM: essas pessoas saíram do show do Roger Waters para abrir um BO contra o músico

Quando questionado sobre o fato de que tocará na véspera do segundo turno em Curitiba e logo depois em Porto Alegre, Roger Waters diz o que espera desses shows:

Não tenho ideia. Essa eleição é muito importante. Na Alemanha, elegeram Hitler como uma coisa nova na política. ‘Nós precisamos desse cara!’ Sério? Mesmo?

Ele ainda diz que se Bolsonaro for eleito, pode passar a boicotar o país assim como faz com Israel.

Você pode ler a entrevista de Roger Waters para a Folha na íntegra clicando aqui.

Roger Waters no Brasil

Você ainda pode encontrar ingressos para os shows de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Porto Alegre clicando aqui.

As entradas para a apresentação de Curitiba estão esgotadas, mas podem ser encontradas em sites onde fãs revendem seus ingressos, como o StubHub.

LEIA TAMBÉM: após polêmica, letra de “Another Brick In The Wall” do Pink Floyd é a mais procurada no Brasil

   
 
Compartilhar