Korn (Jonathan Davis) gravando Follow the Leader
Foto: Reprodução/YouTube
 

O KoRn está comemorando os 20 anos do incrível Follow The Leader, disco lançado em 1998, e compartilhou detalhes sórdidos sobre a gravação do álbum.

Em entrevista ao The Ringer, o vocalista Jonathan Davis foi bem explícito ao falar das drogas, orgias e bebidas que rolaram no estúdio. O cara estima que aproximadamente 60 mil dólares foram gastos com álcool nos três meses que a banda passou no estúdio, e deixou claro que membros de bandas como Deftones e Limp Bizkit colaboraram para este valor.

O frontman, que hoje está sóbrio, revelou:

Era o ápice do excesso no rock and roll. Eu estava cantando em um disco, chapado de cocaína e havia uma vadia chupando um músico incrível de uma banda incrível — não vou dar nomes, eu não conto. Mas era um dos meus amigos e uma atriz pornô. Foi maravilhoso. […] Eu usava o filme ‘The Doors’, com o Val Kilmer, como meu caderno na escola do rock ‘n’ roll, para ser um rock star. Eu pensava que tinha que ser daquele jeito — todo fodido, usando drogas e ficando bêbado, fodendo com o máximo de garotas que eu conseguisse, o tempo todo.

Davis ainda comentou duas músicas do disco que, ao que tudo indica, não são suas favoritas. Trata-se de “All In The Family”, com participação de Fred Durst, e “Cameltosis”, com Tre Hardson (The Pharcyde), cujo vídeo da gravação você pode ver ao fim da publicação. “Nós estávamos loucos, insanamente bêbados e chapados quando fizemos aquilo. […] Que merda que eu estava pensando? Eu tinha 27 anos. Ainda era imaturo,” disse o vocalista.

O KoRn tem feito uma série de shows nos Estados Unidos para comemorar o aniversário do disco.

LEIA TAMBÉM: Jonathan Davis (KoRn) se emociona em primeiros shows após a morte da esposa