O filme mais recente de Indiana Jones foi lançado há dez anos e, acredite, ainda tem muita coisa que pode ser novidade para quem gosta da franquia. Por ter quatro filmes lançados ao longo de 27 anos, a produção de George Lucas e Steven Spielberg possui fãs de todas as idades e algumas curiosidades podem tornar a experiência de assistir aos filmes ainda melhor.

Por exemplo: você consegue imaginar Indiana Jones interpretado por outro ator além de Harrison Ford? A ideia hoje parece insana, mas quase aconteceu. Tom Selleck era o favorito de Lucas para o papel em Os Caçadores da Arca Perdida e ele inclusive fez testes como o personagem. O problema é que o ator já tinha contrato com a CBS para a série Magmum P.I e não pôde assumir o novo projeto.

Magnum P.I. até que não foi uma escolha tão ruim para Selleck, que ganhou um Emmy pelo programa, mas nem se compara ao sucesso absurdo que Indiana Jones alcançou nas décadas seguintes.

Audição de Tom Selleck para o papel de Indiana Jones.
Tom Selleck realmente fez testes para o papel principal em Indiana Jones. (Foto: Divulgação / Internet)

Os Caçadores da Arca Perdida também conta com uma das cenas mais icônicas do cinema de aventura, na qual Harrison Ford contracena com milhares de cobras. Aquilo foi filmado no lendário Elstree Studios, em Londres, num set construído para a produção e que teve 9 mil cobras de verdade inseridas para as gravações. Inicialmente eram 2 mil, mas Spielberg não achou cheio o suficiente para planos mais abertos.

Outra cena envolvendo o reino animal foi em Templo da Perdição e contou com 50 mil insetos de verdade. Ford lidou bem com as circunstâncias, mas a atriz Kate Capshaw teve que ser medicada com sedativos para conseguir atuar com tantos bichinhos. Para piorar, apenas um quarto desses insetos foram recuperados, porque a maioria fugiu para a cidade.

Harrison Ford e milhares de cobras em "O Templo da Perdição".
Harrison Ford e uma quantidade absurda de cobras no set de “O Templo da Perdição”.

Além de animais em grandes quantidades, Spielberg e Lucas utilizaram ferramentas de verdade em explosões, veículos reais em cenas de perseguição, além de muitos efeitos práticos. Em O Reino da Caveira de Cristal, por exemplo, há uma cena em que atores foram atingidos por uma explosão e arremessados longe (0:12 do vídeo abaixo). Tudo pelo realismo (e tudo controlado, claro)!

Também com esse objetivo foi criada uma cidade em miniatura para ser explodida na cena do teste nuclear e, se não tivesse sido falado, ninguém diria que se tratava de uma maquete.

Já o rosto derretendo em Os Caçadores da Arca Perdida foi um baita trabalho prático de maquiagem, com várias camadas de cera sendo dissolvidas pelo calor de luminárias, tudo isso filmado em time lapse.

Referências

Para a nova geração que vê Stranger Things como o suprassumo das referências, mal sabe que Spielberg e Lucas encheram os filmes de Indiana Jones com pequenas lembranças de outras obras e até de suas vidas pessoais.

O cachorro de George Lucas, por exemplo, realmente se chamava Indiana – esse cachorro era muito influente, aliás. Ele também foi inspiração para criação de Chewbacca, do universo de Star Wars. Outra referência canina é a personagem de Kate Capshaw, Willie Scott, que foi batizada assim em homenagem ao cachorro de Spielberg. A ironia do destino é que Spielberg e Capshaw se casaram dez anos depois.

Ainda sobre Star Wars, foram VÁRIAS referências aos androides C-3PO e R2D2, por exemplo:

Referência a Star Wars em Indiana Jones.
Ali no canto, as marcas na parede têm a forma de C-3PO e R2D2.

Além disso, a boate favorita de Indiana em Shangai se chama Club Obi Wan.

Outra fonte abundante de referências em Indiana Jones foi 007. Spielberg desejava dirigir um filme do agente secreto, mas foi convencido por Lucas a ficar com o arqueólogo. Resultado: a abertura de O Templo da Perdição teve um Indiana que praticamente era um cosplay de James Bond. Já a apresentação de Short Round nesse mesmo filme foi a homenagem mais óbvia: “Esse é o Sr. Round. Short Round”.

Além disso, A Última Cruzada contou com o ex-James Bond, Sean Connery, no elenco. O personagem dele ainda levou um tiro de Julian Glover, ex-vilão de 007, com uma arma que era a assinatura do agente secreto: uma Walther PPK. E o dublê, Vic Armstrong, trabalhou substituindo quatro (!) James Bonds durante sua carreira.

Para quem está com saudade, o quinto filme da série vai ser lançado em 2021. A estreia seria em 2019, depois 2020, mas foi adiado em mais um ano. Já pode começar a contagem regressiva ou a Disney vai empurrar mais para frente?