Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
 

Prestes a estrear seu novo show, Música Extravagante, no Circo Voador neste sábado (29), Baby do Brasil está repleta de novidades.

Além da turnê, a artista de 66 anos vai ganhar um documentário sobre a sua vida, planeja lançar um livro sobre o famoso “arrebatamento” que lhe encaminhou para a igreja evangélica e futuramente deve gravar um álbum de inéditas com os Novos Baianos.

Para saber mais sobre a apresentação no Rio de Janeiro, que tem ingressos a R$ 50 (meia-entrada/meia solidária), e outros planos de Baby, conversamos com a cantora e a entrevista você confere a seguir!

TMDQA!: Você está gravando um novo álbum e deve tocar três músicas inéditas no novo show. Pode contar um pouco mais sobre esta nova fase da sua carreira?

Baby do Brasil: Venho compondo muito desde que terminei a turnê do Baby Sucessos e durante todo o período da excursão com os Novos Baianos! Comecei então a preparar um álbum de inéditas para um lançamento próximo. Essas três primeiras músicas são: “Você é lindo”, com parceria de Marivaldo dos Santos, o brasileiro do Stomp, “Eu vou dizer que sim” e “Aquela Porrada”, de minha autoria letra e música.

Essa nova fase é… “De volta mas… no futuro!” Todas as experiências vividas, as colheitas de todas as áreas, os aprendizados dos últimos anos, as outras inspirações. Tudo é a verdade que vai para o controle central do meu sistema límbico das minhas emoções, e eu gosto de escrever o que está em mim. Por isso, meu momento atual é mais uma verdade sincera e muito prazerosa que se realiza na minha vida.

TMDQA!: Falando nos Novos Baianos, como tem sido voltar aos palcos junto com o grupo? Vocês vão fazer novas turnês no futuro?

Baby do Brasil: A volta com os Novos Baianos foi uma das melhores coisas que me aconteceram. Conviver com pessoas que amo tanto e que são como uma família para mim é divino. É legal também que o público jovem fica sabendo de qual escola musical eu vim, que passamos momentos tão felizes mas tão difíceis no tempo da ditadura, fazendo tudo para deixar um legado para as novas gerações. E que hoje podemos nos olhar e dizer que valeu a pena a nossa união, foi maravilhoso! Para um futuro faremos também um CD de inéditas e uma tour para lançá-lo.

TMDQA!: Recentemente, você participou do Prêmio da Música Brasileira no Rio de Janeiro cantando “Magrelinha” em homenagem a Luiz Melodia. O cantor e compositor era uma referência artística para você?

Baby do Brasil: Foi uma honra cantar “Magrelinha” porque ela é uma das mais importantes músicas de Luiz Melodia, que conheci muito desde o início da carreira. O Melodia tem uma característica dos sambistas e dos jazzistas que me identifico muito, pois eu gosto muito de cantar os dois estilos. Creio que ele é único, pois sua maneira de compor é completamente diferente de todos os compositores, ele tem o seu estilo próprio! Com certeza é uma referência musical.

TMDQA!: Sobre religiosidade, você se converteu ao cristianismo nos anos 1990 e já afirmou ter tido um “arrebatamento” na época. É realmente uma vontade sua contar essas histórias em um livro?

Baby do Brasil: Eu busquei tanto, mas tanto todas as respostas para as minhas perguntas: pra onde caminha a humanidade? Qual era o plano? Por que a morte? A doença? As guerras? Enfim, eu buscava tudo e um dia aconteceu o arrebatamento. E fui parar lá onde chamamos de céu e finalmente as respostas vieram e a minha vida passou a fazer sentido. A felicidade tomou conta de mim. Então eu acho que tenho que contar essas histórias em um livro. Já o estou elaborando e se chama “Não Vai Ter Bunda-mole no Céu, Só Casca-grossa”.

TMDQA!: Em 2019 deve sair um documentário que vai contar a sua vida e que, segundo divulgado, será narrado por você mesma. Tem maiores detalhes sobre o projeto?

Baby do Brasil: Esse documentário é do Rafael Saar, um jovem e talentoso diretor que vem colhendo tudo sobre a minha vida há alguns anos. Ele inclusive já tem como material editado mais de 180 horas. Teremos neste novo show, Música Extravagante, parte desse material, no contexto do cenário, para as pessoas já irem curtindo!

TMDQA!: As eleições estão cada vez mais próximas e o Brasil vive momentos de polarização política extremada. Você já declarou seu voto em Marina Silva, por quê?

Baby do Brasil: Eu conheço a Marina Silva há muitos anos, acredito no seu caráter, no seu comprometimento em fazer pelo Brasil o que no fundo no fundo ninguém ainda fez. Escola, hospitais, saúde , cultura, proteção para a criança, economia auto sustentável, economia de um modo geral etc. Além dela ser uma mulher temente de verdade a Deus, ela tem uma história que mostra a sua garra, ao contrário do que muitos de nós pensamos.

Em 2006, ela foi considerada pela revista Forbes Brasil “uma das 10 mulheres mais importantes do país”. Sua responsabilidade ambiental é louvável, se colocando ainda quando muito jovem na frente de uma árvore na Amazônia, enfrentando a todos, e não permitindo que aquela árvore centenária fosse cortada. Marina é brilhante, determinada e humilde, conseguiu ler e escrever a partir dos 15 anos de idade, se formou em tudo que desejou aprender e foi descoberta por Chico Mendes, que viu nela uma líder com coração brasileiro.

Apesar de parecer fraca e sem atitude, Marina é aquele tipo de pessoa que busca as soluções nas experiências dos outros países que resolveram os mesmos problemas que os nossos, sem que tivessem que correr o risco de mais inocentes pagarem o preço com a vida. Marina apesar de parecer tão frágil, com pouca verba para campanha, faz o seu melhor com quem a ajuda. Ela renunciou ao cargo de ministra quando percebeu que era hora de proteger-se de qualquer dúvida futura contra o seu caráter. Tem reaparecido de quatro em quatro anos sim, pois sabe se proteger!

Marina vem sempre incomodando nas pesquisas, forte e ilesa das sujeiras que ocorrem durante esse período. Ela foi a menina que não deixar cortar uma árvore, que parece fraca, porém, é mais forte que uma floresta inteira. Por isso, e muito mais, meu voto é para ela, a morena Marina Silva.

TMDQA!: Para finalizar, em tempos tão difíceis para a arte e a cultura no país, você acredita que exista uma saída? Como?

Baby do Brasil: Acredito que temos saída para tudo! Os caminhos que precisamos seguir têm que atrair as bênçãos de Deus. Não podemos mais misturar as coisas, pois tudo traz consequências de “ação e reação”. Temos que continuar a criar e dar o nosso melhor.

Registrar com a arte o nosso tempo e buscar fazer com que a arte não atraia a ira de Deus, e sim a benção. E até para a morte já tem solução, pois depois que Jesus Cristo, o Filho do Deus, ressuscitou, podemos ressuscitar também e viver uma outra vida na eternidade, “sem choro nem guerra”!

O novo show se chama “Música Extravagante” porque esse é o momento onde a música brasileira está sendo elogiada no mundo inteiro por ser uma música de harmonias, acordes e melodias de alto nível musical e as gerações que vão formar a nossa música no futuro precisam conhecê-la melhor para receberem essa influência incrível.

Além da música brasileira, teremos como Música Extravagante de Brasileirinho de Waldir Azevedo a Summer, umas das quatro estações de Vivaldi; de Menino do Rio de Caetano Veloso a Bolero de Ravel; de Telúrica a Quem há de dizer de Lupicínio Rodrigues; de Um Auê com você a Conceição de Dunga e Jair Amorim, entre outras extravagâncias.

TMDQA!: Aproveitando, quais surpresas você promete para o público no Circo Voador?

Baby do Brasil: Nessa noite teremos um convidado muito especial, o “Coral Vozes do Rio”, com a abertura de vocais extravagantes mostrando em “Stand By”, de Ben King, sucesso na voz de John Lennon, Agnus Dei de Mike W. Smith, e “Simply The Best”, de Mike Chapman, e “Holly Knight”, sucesso total na voz de Tina Turner. Imagina o que mais de dez vozes cantando juntas e acordes podem fazer com nossos corações! Com certeza, essa será uma noite especial de muita Música Extravagante.