Val-Zod, um dos Superman negros nas HQs
(Reprodução / DC Wikia)
 

Depois de um repentino boato (dado como certo por fontes gringas) de que Henry Cavill estaria deixando o papel do Superman nos cinemas, o público geek começou a especular sobre o assunto antes mesmo de confirmar da informação. Precipitado? Certamente. Só que um dos nomes ventilados foi o de Michael B. Jordan (Creed, Pantera Negra), o que causou uma reação exagerada de parte dos fãs e levantou uma questão intrigante: o Superman pode ser negro?

A revolta dessa parcela dos fãs era esperada, mas demonstrou também um desconhecimento em relação aos quadrinhos. A principal prova que B. Jordan seria um bom nome para assumir a capa vermelha é simples: já existem três versões do Superman que são homens negros e poderiam ser adaptadas.

Leitores mais ávidos ou acostumados ao conceito de multiversos nas HQs da DC podem se lembrar de Calvin Ellis, o Superman da Terra 23 (primeira aparição em Final Crisis #7, 2009). Ele não apenas liderava a Liga da Justiça Encarnada (super-equipe daquele universo, também formada, em sua maioria, por heróis afro-americanos) como também era o presidente dos Estados Unidos. O autor Grant Morrison confirmou a óbvia inspiração no então presidente Barack Obama.

Um dos seus principais arcos de Ellis foi “The Curse of Superman”. Os cientistas Clark Kent, James Olsen e Lois Lane vieram de uma Terra alternativa à procura de Superdoom, um vilão que estava viajando por diferentes realidades para matar os outros Superman. Para derrotar o poderosíssimo inimigo, ele contou com a ajuda inesperada do seu próprio vilão, Lex Luthor.

Calvin Ellis, o Superman da Terra 23
Calvin Ellis, o Superman da Terra 23 (Reprodução / DC Wikia)

Outro Superman negro foi Val-Zod, da Terra 2 (primeira aparição em Earth 2 #19, 2014). Também kryptoniano (mas da família Zod, que aqui eram cientistas pacifistas), ele foi enviado à Terra para se salvar do colapso de seu planeta natal. No entanto, foi encontrado por uma pessoa má intencionada que o manteve recluso em uma cela sob o Asilo Arkham.

Quando libertado, ele combateu forças de Apokolips, mesmo tendo um ideal pacifista que o fazia evitar o uso de violência. Ele até foi diagnosticado como agorafóbico (medo de lugares amplos e abertos). Eventualmente, Val-Zod se viu obrigado a lutar contra Darkseid e outros vilões, inclusive ao lado de heróis como Flash e Lanterna Verde do seu universo.

Em “Rise of a Superman”, ele também teve que lutar contra um Superman vilão.

Val-Zod, o Superman da Terra 2
Val-Zod, o Superman da Terra 2 (Reprodução / DC Wikia)

O terceiro Superman negro foi John Henry Irons, o único dessa lista que não veio de Krypton (primeira aparição em Adventures of Superman #500, 1993). Na verdade, o grande poder dele era criar armas, o que o levou a trabalhar para a indústria bélica AmerTek por um tempo. Ao ver que suas criações estavam sendo usadas por mãos erradas, ele pediu demissão e foi para Metrópolis, onde viveu escondido.

Certa vez, ele teve a vida salva pelo Superman e resolveu retribuir fazendo o bem. Para isso, criou uma armadura inspirada no kryptoniano e, quando o Superman morreu em “The Death of Superman”, Irons adotou a identidade de Homem de Aço (quando Superman voltou à vida ele passou a ser apenas Aço).

Irons integrou a Liga da Justiça e passou a ser presença constante nas histórias da equipe. Ele apareceu até mesmo em animações da DC.

John Henry Irons, outro Superman negro nas HQs
John Henry Irons, outro Superman negro nas HQs (Reprodução / DC Wikia)

Respaldo científico

Além da existência de personagens negros no papel de Superman, existe até uma base científica para corroborar essa sugestão. Um estudo publicado pela Forbes e realizado pelo biólogo e jornalista científico J.V. Chamary afirmou que a pele do herói, para ser cientificamente correta, deveria ser negra.

Partindo do princípio de que o personagem absorve luz para seu organismo funcionar e ter superpoderes, a lógica seria que a pele dele tivesse pigmentação mais escura – mais eficaz na absorção de luz solar. Se as células do Superman funcionassem como os organismos fotossintéticos reais, ele usaria luz para sintetizar moléculas capazes de armazenar muita energia.

Isso não significa que o personagem deveria necessariamente ser afro-americano, até porque ele é de outro planeta. Mas deixa completamente plausível a oportunidade para que um ator negro interprete o personagem no futuro e não pareça alguma invenção maluca.