Edgar
Foto: Pedro Ladeira
 

Meses após ter aparecido de forma impactante no novo disco de Elza Soares, o cantor e compositor Edgar acaba de retornar com Ultrassom, seu novo álbum de estúdio.

O trabalho foi produzido por Pupillo (Nação Zumbi) e conta com dez faixas inéditas, incluindo os singles previamente lançados “O Amor Está Preso?” e “Plástico”.

Ao longo das dez canções, Edgar pinta paisagens de futuros distópicos e faz críticas à sociedade — especialmente a nossa relação com o mundo tecnológico. Em questão de sonoridade, o trabalho se baseia em ritmos nordestinos, além da música eletrônica e do rap.

Para promover o lançamento do disco, Edgar irá realizar um show especial no dia 15 de Setembro (mais conhecido como amanhã) no SESC Pompeia, em São Paulo. Mais informações sobre a apresentação podem ser encontradas logo abaixo.

O cantor fez um faixa a faixa exclusivo para o TMDQA!, que você confere a seguir! O player com o disco está ao fim da publicação.

1. “Líquida”: essa música é um exercício resgatando lembranças da minha memória. Citando várias cachoeiras de São Thomé das Letras e Minas Gerais onde fiquei e também ao CD “Selva” e “Três vezes grandes” da banda Marco Nalesso e a Fundação.

2. “Felizes eram os golfinhos”: foi a primeira música do disco a ser criada, acho que no fim de 2016. Eu sinto que é a música mais espontânea por não ter uma direção ou um tema específico no texto, eu adoro o título que lembra o mochileiro das galáxias, que deixa uma mensagem subliminar de que os golfinhos não eram peixes e sim seres mágicos de outro planeta.

3. “Go Pro”: música escrita quando um sobrinho meu voltou a morar na casa da minha mãe. Um dia eu cheguei e vi ele usando um óculos de realidade aumentada gritando no meio da sala matando zumbis, enquanto a família tinha um dia comum conversando e bebendo cerveja.

4. “Print”: essa música explica uma nova forma de se criar provas e documentos digitais, contendo alterações ou não.

5. “O dia é meu”: da maneira mais peculiar, o carnaval no Brasil tem domínio da sua inovação artística, mas também precisa inovar o tratamento com os lixos não reaproveitados.

6. “Plástico”: ontem saí pra caçar conchas na areia da praia e voltei com 5 sacolas plásticas cheia de lixos que, podem parecer, mas não são inofensivos.

8. “Adorno”: fala sobre um dia normal de trabalho em uma firma que contrata humanos e robôs.

9. “O amor está preso”: a repetição dos problemas da educação e da saúde que aconteciam com a formação escolar do meu pai ainda se repetem na masturbação social, só que em âmbitos públicos e em hábitos políticos.

10. “As libélulas”: são bio indicadores, que avisam que no local onde elas estão não há agrotóxicos, então vou me embora agora encontrar onde as libélulas estão, antes que elas entrem em extinção.

Edgar – Show Lançamento de “Ultrassom”

Data: 15 de setembro (sábado)
Horário: 21h30
Local: Sesc Pompeia (Comedoria)
Endereço: Rua Clélia, 93 – São Paulo/SP
Ingressos: R$6 (credencial plena/trabalhador do comércio e serviços matriculados no Sesc e dependentes), R$10 (pessoas com mais de 60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$20 (inteira)
Capacidade: 800 pessoas
Duração: 90 minutos
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 18 anos

 
 
Compartilhar