The Kooks - Let's Go Sunshine
 
Ouça o novo single da Majur!

Let’s Go Sunshine. Se para você o título lembra algo cheio de positividade, então digo que acertou em cheio, pois essa é exatamente a pegada desse álbum combinando com o título e deixando claro que a vibe desse disco é nada menos que positiva. A sensação que temos é que a banda que o escreveu te chama para dar um passeio numa tarde ensolarada enquanto uma música indie gostosinha toca no som do seu carro.

E parece que os caras não estão pra brincadeira, não. Após um showzão aqui no Brasil, o The Kooks começou a liberar esporadicamente diversos drops para que sentíssemos o gostinho do que estava por vir. Neste disco, lançado na última sexta-feira (31), e que possui nada menos que 15 faixas, Let’s Go Sunshine já conta com três videoclipes para as músicas “All The Time”, “No Pressure” e o vídeo que foi lançado no combo do álbum para “Four Leaf Clover”.

Abrindo com a “Intro”, que é apenas uma pequena amostra de toda a alegria por trás do disco e indo direto para “Kids”, que deixa claro que a banda não teve intenção de mudar seu estilo com este álbum, a banda mostra que quis manter a fórmula que a tornou conhecida, fazendo com que qualquer pessoa que conheça uma música sequer do Kooks já saiba que se trata do grupo.

Seguindo para “All The Time” , que foi o primeiro single deste novo disco e já conta com um videoclipe bem bonitinho, a música te passa aquele sentimento de liberdade com uma pegada romântica na letra. Basta uma ouvida para ficar cantarolando o refrão o dia inteiro.

Já “Believe” é aquela música clássica que praticamente toda banda tem para falar que você deve acreditar no amor. Tudo com uma pegada muito gostosa e um arranjo que combina com sua letra motivacional, sem deixar de fora a vibe boa para que você não deixe de acreditar mesmo.

A mesma pegada segue com “Fractured and Dazed” que é aquele tipo de balada que o The Kooks parece adorar fazer, mesmo estilo de música que você já encontra nos álbuns anteriores da banda. Como falei anteriormente, essa é a receita do sucesso da banda e eles não pretendem mudar.

Em “Chicken Bone”, que tem esse nome engraçadinho e não fala de ossos de galinha, podemos esperar uma coisa um pouco mais sexy, que só de ouvir já podemos enxergar o vocalista, Luke Pritchard, sensualizando no palco como ele sempre adora fazer em seus shows.

Enquanto isso, “Four Leaf Clover”, que também já possui um vídeo, aposta no mesmo estilo que falei acima, é a mesma balada bonitinha com ritmo que lembra diversas outras músicas da banda e não surpreende ninguém. É divertida e gruda na cabeça, então acho que isso já basta para a banda estar satisfeita com a música.

Como nem tudo são flores, “Tesco Disco” é aquela música que dá vontade de pular, bem dispensável para o álbum, e até arrisco dizer que é muita gente vai achar que ela é chata. O mesmo acontece com “Honey Bee”, que tem a mesma pegada cansativa da anterior.

Em “Initials for Gainsbourg” é onde o disco desanda um pouco e tem uma falha perceptível na ordem de escolha das músicas, começando com uma série de sons mais cansativos e “mais do mesmo”, dando aquela vontade de parar por ali. Mesmo “Pamela” que se mostra mais animadinha que as outras, é um pouco decepcionante, mas se encaixa na categoria do “dá para ouvir”.

Seguimos com “Picture Frame” que é a clássica sentimental com violão e letra tocante, para os amantes daquele sentimento de solidão básico, que na minha humilde opinião, não se encaixa na vibe que o álbum te proporciona anteriormente.

Já a dupla formada por “Swing Low” e “Weight Of The World”, são as mesmas sentimentais que não impressionam nos arranjos e não têm nenhuma surpresa aparente, deixando um pouco a desejar em relação ao resto das músicas com mais potencial que o álbum tem a oferecer.

A saideira “No Pressure”, que também tem um vídeo muito bonitinho que renova suas esperanças no amor, passa exatamente essa mesma pegada fofinha com a letra e um arranjo divertido, conseguindo salvar de forma bacana o que foi perdido em algumas faixas anteriores, dando aquele sentimento de alívio para que você termine o disco com um sorrisão no rosto e bem mais leve, assim como a letra da música sugere, sem se preocupar com as pressões do mundo.

No geral, Let’s Go Sunshine é um bom trabalho da banda com aquele estilo clássico que eles possuem desde o primeiro álbum. O que difere aqui é a vibe que combina para ser trilha sonora daqueles filmes de comédia romântica, passando por todos os estágios do filme, desde a briga do casal principal até o final do filme que é quando eles ficam juntos. No mais, o disco poderia ter menos faixas (algumas não fariam falta) e ser algo bem menos cansativo e repetitivo em algumas músicas, mas é notável o sentimento de liberdade e felicidade que ele trouxe após a primeira ouvida.

     
 
REVIEW GERAL
Nota
6.5
Compartilhar