Amar é Para os Fortes: Marcelo D2 inaugura álbum audiovisual no Brasil

Ópera-rap de D2 traz um modelo que já vem sendo usado por grandes nomes da música contemporânea

Marcelo D2 completa 50 anos
Foto: Divulgação
 

Marcelo D2, como o grande nome da música brasileira que é, apresentou na última sexta-feira, 31 de agosto, seu mais novo álbum, Amar é Para Os Fortes.

Disponível, por enquanto, apenas para a Apple Music, o álbum traz um formato de ópera-rap em uma obra transmídia, o conceito de álbum audiovisual, onde não apenas todas as canções possuem um clipe, mas o álbum todo é também um filme, que se utiliza do áudio do álbum como trilha sonora.

D2 buscou fazer um trabalho que funcionasse junto ao filme, mas também sozinho, como álbum, por isso trabalhou como músico, compositor, arranjador e diretor do projeto.

O trabalho contou com o seu filho, o rapper Sain como ator principal, e se utiliza de cenas de clássicos como Wild Style, Faça a Coisa Certa, Cidade de Deus, Rockers, O ódio e Kids como referência. Com essa ideia, Marcelo diz estar “sampleando cinema”, como sempre fez com músicas na sua no hip hop.

Indo das favelas aos casarões da lapa, Amar é Para Os Fortes é um grande rolê pelo Rio de Janeiro com letras sobre o cotidiano da grande cidade e seus diversos dilemas sociais.

Na parte musical, D2 contou com diversas participações especiais: desde Gilberto Gil até Kassin, Rodrigo Amarante, Jeneci e diversos outros que nem mesmo ele soube nomear.

 

Álbum Visual

Essa estrutura gigantesca, apesar de ser inédita no Brasil, parece estar se tornando tendência entre os grandes nomes da música internacional.

Por exemplo tivemos em 2016 o influente Lemonade da Beyoncé, onde a cantora disponibilizou pelo Tidal o álbum acompanhado de um filme que retratava quase como um musical as histórias das canções em uma obra conceitual sobre traição, empoderamento, família e trajetória.

Ainda em 2018, tivemos outro projeto no mesmo estilo: com influências afro-futurísticas e um ar de David Bowie, Janelle Monáe lançou Dirty Computer, batizado por ela mesma como uma “emotion picture” e que traz a história de uma sociedade distópica com embates morais entre humanos e máquinas.

Com Amar É Para Os Fortes, Marcelo D2 traz para o Brasil esse formato de maneira muito construída, levando, como os outros exemplos, sua obra a outro nível, além até mesmo da própria música.

Você encontra mais informações a respeito no site oficial do novo disco de Marcelo D2.

   
 

Comentários