Bobi Wine
Foto: Wikimedia Commons
 
Ouça o novo single da Majur!

Robert Kyagulanyi Ssentamu é o nome de um jovem político de Uganda que, aos 36 anos, está passando pelo período mais delicado de sua vida.

No passado, Ssentamu foi um pop star em seu país, conhecido como Bobi Wine e dono de alguns sucessos nos anos 2000, o que lhe deu popularidade entre a juventude.

Em 2017 o cara se candidatou ao parlamento de Uganda e venceu as eleições, garantindo que teria uma cadeira para protestar contra o governo de Yoweri Museveni, Presidente de Uganda que está no poder há nada mais, nada menos do que 32 anos.

Esse ano Bobi usou a sua influência para apoiar e eleger diversos políticos que também fazem oposição a Museveni, e ao que tudo indica isso incomodou o governo, já que ele foi preso pelo exército acusado de porte de armas em uma ocasião onde se encontrava na cidade de Arua fazendo campanha justamente quando o Presidente estava no local fazendo o mesmo.

Tiros foram trocados, o motorista de Bobi Wine foi atingido e faleceu, e o ex astro pop foi preso junto com outros políticos e civis que eram contra o regime de Yoweri Museveni, cujo candidato apoiado perdeu as eleições. Segundo ele, apoiadores de Wine teriam atacado sua comitiva com pedras, o que justificou a resposta com tiros e as prisões.

De lá pra cá, diversas denúncias foram feitas a respeito do tratamento com Ssentamu, já que há relatos de que ele vinha sendo torturado na prisão, informação que faz ainda mais sentido após o cara ter aparecido em um julgamento com a aparência bastante fraca e sem conseguir andar por conta própria.

Hoje, dia 23 de Agosto, o exército concedeu a liberdade a Bobi, encerrando as acusações de posse de arma, mas assim que ele foi liberado, a polícia o prendeu novamente, dessa vez alegando crime de “traição” contra o país.

Seus advogados pediram para que ele seja levado a um hospital e tenha acesso aos seus próprios médicos, ficando internado por lá até que aconteça um novo julgamento no próximo dia 30 de Agosto.

Mobilização Internacional

Desde que Bobi Wine foi preso, diversas organizações e indivíduos se manifestaram pelo mundo, como foi o caso de uma carta assinada por Chris Martin (Coldplay), Chrissie Hynde (Pretenders), Peter Gabriel, Brian Eno, Damon Albarn e mais.

Nela, eles pedem a liberdade do político:

Nós, abaixo assinados, condenamos veementemente a prisão e o ataque violento contra a vida por parte das forças do governo de Uganda contra o cantor popular e Membro do Parlamento, o Honorável Robert Kyagulanyi Ssentamu, também conhecido como Bobi Wine. Nós também condenamos a morte do seu motorista, Yasin Kawuma, bem como o espancamento e prisão de três outros Membros do Parlamento que fazem parte da oposição. Nos comprometemos a continuarmos vigilantes em relação à sua prisão e a usar as nossas vozes e redes em níveis locais, regionais e internacionais para divulgar o seu caso, pressionar por libertação imediata e incondicional, e para encerrar esse e outros atos de repressão política e violência em Uganda.

No ano passado o Parlamento de Uganda derrubou uma lei que dizia que o Presidente não poderia ter mais de 75 anos de idade. Sendo assim, Museveni pode se reeleger em 2021 quando terá 77. Bobi Wine foi uma das vozes contundentes contra a mudança na lei.

Desde a sua prisão, diversos protestos passaram a acontecer em Uganda para que Wine fosse libertado, e o governo respondeu com violência na maior parte deles.