Donald Trump e Steven Tyler (Aerosmith)
Fotos: Wikimedia Commons
 

Pouco depois de ficarmos sabendo que Steven Tyler está acionando advogados contra Donald Trump, o vocalista se pronunciou.

O frontman do Aerosmith entrou na justiça com uma carta de “cease and desist”, ou “cessar e desistir”, com o objetivo de que as músicas da banda não sejam mais executadas em eventos do presidente — algo que já aconteceu pelo menos duas vezes.

Usando o Twitter, Tyler declarou:

Isso não é sobre democratas vs. republicanos. Eu não deixo ninguém usar minhas músicas sem minha permissão. Minha música é para causas, não para campanhas políticas ou comícios. Proteger direitos autorais e compositores é algo pelo qual tenho lutado desde bem antes da atual administração entrar no poder. Essa é uma das razões pelas quais eu e Joe Perry estivemos pressionando o Senado para aprovar a lei de modernização da música. ‘Não’ é uma frase completa.

Lá em 2015, o atual presidente havia usado “Dream On” em uma campanha, algo que foi proibido por Steven Tyler. Agora, Trump tem usado “Livin’ On The Edge” em seus comícios.

É, não é não.