Discos de Industrial
 

Hoje vamos falar aqui no TMDQA! sobre um gênero que pouco faz parte do mainstream, mas que tem sua importância dentro da história da música: o industrial.

O industrial surgiu nos anos 1970 na Inglaterra – e cresceu bastante na Alemanha e Bélgica – como uma resposta ao punk, fazendo parte da contra-cultura e sendo visto como “anti-música”, já que em seus primórdios era simplesmente… barulho.

Pois é, muita gente deve associar o industrial a nomes como o Nine Inch Nails – sobre o qual falaremos daqui a pouco – mas a sua origem sonora é bem diferente e totalmente experimental.

No início, o Industrial não era apenas sobre música, mas também havia toda uma estética e letras que falavam sobre tabus e temas controversos. A literatura também tinha um papel forte nisso, com Aleister Crowley, William S. Burroughs e Philip K. Dick servindo de grande influência.

Entre os primeiros nomes desse gênero estão Throbbing Gristle, Psychic TV, Clock DVA e Cabaret Voltaire, e uma banda que acabou influenciando a sonoridade do industrial foi o Kraftwerk, já que, com o tempo, elementos eletrônicos juntaram-se aos sons distorcidos do início, criando o “som característico” do estilo.

Nos anos 1980 surgem outros nomes como Skinny Puppy, que criam as batidas secas, retas e agressivas que influenciaram Nine Inch Nails e Ministry, por exemplo.

E sim, apesar dos alemães do KMFDM serem os primeiros a incorporarem guitarras nessas batidas eletrônicas agressivas, foi o Nine Inch Nails quem popularizou o subgênero conhecido como Rock Industrial, que mescla a distorção de guitarras e efeitos eletrônicos barulhentos e quebrados.

Para entender melhor, confira abaixo uma lista com dez bandas essenciais para começar a curtir esse gênero não tão comentado por aí.

Throbbing Gristle

Música: “Maggot Death
Disco: The Second Annual Report

Lançado em 1977, esse é considerado um dos primeiros discos de industrial já feitos; a maioria das gravações são ao vivo e apenas duas são de estúdio, como é o caso de “Maggot Death“.

Psychic TV

Música: “Botanica
Disco: Dreams Less Sweet

Psychic TV também é um nome pioneiro no estilo e esse disco lançado em 1983 mostra todo o experimentalismo presente no início do industrial.

Einstürzende Neubauten

Música: “Zeichnungen des Patienten O.T.
Disco: Zeichnungen des Patienten O.T.

Os alemães do Einstürzende Neubauten são parte dos grandes nomes do industrial na história. O disco Zeichnungen des Patienten O.T., de 1983, é um exemplo clássico dessa sonoridade esquisita e barulhenta.

Coil

Música: “The First Five Minutes After Death
Disco: Horse Rotorvator

Coil foi um duo britânico que teve como membros John Balance e Peter Christopherson. Ambos já faziam parte da cena industrial no Reino Unido, sendo ex-integrantes do Psychic TV e Throbbing Gristle respectivamente.

O Horse Rotorvator, lançado em 1985, entrou para a lista dos 100 Álbuns da Década de 1980 da Pitchfork. Apesar de bem experimental, nesse disco é possível perceber o início da inserção de elementos eletrônicos nas músicas.

Clock DVA

Música: “Relentless
Disco: White Souls in Black Suits

O Clock DVA lançou seu primeiro disco em 1980, pela Industrial Records, e mostrou por que era um dos primeiros nomes a surgir no estilo também. É interessante notar que esse disco, além da parte experimental, há guitarra, bateria e baixo que lembra bastante o pós-punk e o som que o Joy Division fazia, por exemplo.

Cabaret Voltaire

Música: “Just Fascination
Disco: The Crackdown

O Cabaret Voltaire foi um dos pioneiros a implementar a música eletrônica no industrial e esse discaço é uma grande prova disso. Vale a pena ser ouvido do início ao fim porque influenciou muitos nomes que vieram posteriormente.

Skinny Puppy

Música: “Assimilate
Disco: Bites

O Skinny Puppy mostra com maestria o industrial com um lado mais obscuro, que também acabou virando uma das características do estilo ao longo do tempo. Sintetizadores, baterias eletrônicas, batidas retas e secas, tudo isso está presente no Bites, um dos discos essenciais do industrial, lançado em 1985.

KMFDM

Música: “Thumb Thumb
Disco: UAIOE

Como dissemos no início do post, o KMFDM foi o pioneiro em incorporar guitarras na música industrial. Dentro da sua extensa e ótima discografia, um dos destaques é o álbum UAIOE, de 1989, que já mostrava como o rock industrial soaria dali pra frente.

Ministry

Música: “Breathe
Disco: The Mind is a Terrible Thing to Taste

O Ministry é outro grande nome do gênero, principalmente por dar início a outra vertente: o metal industrial. Guitarras ainda mais pesadas e vocais gritados, aliados aos efeitos eletrônicos esquisitos já característicos, e o The Mind is a Terrible Thing to Taste é um clássico que merece ser ouvido do início ao fim.

Nine Inch Nails

Música: “Ruiner
Disco: The Downward Spiral

Agora sim chegamos em um nome bem mais popular. Trent Reznor fez com que o rock industrial atingisse o mainstream com o Nine Inch Nails, principalmente com o The Downward Spiral, lançado em 1994.

Todos os elementos estão ali: guitarras sujas, barulhos, caos, um disco difícil de digerir de primeira se você não estiver acostumado com a sonoridade, mas, definitivamente, um clássico. Presente em várias listas, The Downward Spiral também aparece no livro 1001 Discos para Ouvir Antes de Morrer, então fica a dica.

Pra ficar de olho

Gostou e se interessou pelo estilo? Aqui vai a dica de três nomes atuais que fazem um som muito bom e continuam o legado do industrial:

Youth Code

O duo de Los Angeles está na ativa desde 2012 e tem dois discos lançados além de alguns EPs.

3TEETH

O 3TEETH também é de Los Angeles e começou em 2013. Desde então já são três discos lançados.

Street Sects

O duo foi formado em 2013 no Texas e tem um disco lançado e alguns EPs.