All Star é um tipo de tênis que é sensação em todo o mundo. Sempre classificado como um calçado jovem, ele caracterizou movimentos musicais como o punk e o grunge. Mas também passou a ser associado, no final da década de 90, a uma brilhante canção.

Não, não vamos falar de Smash Mouth aqui, mas, sim, de “All Star“, um dos maiores sucessos da carreira do ex-Titãs Nando Reis. Mesmo 20 anos após o seu lançamento, a música continua sendo uma das maiores pérolas da música brasileira moderna.

Cássia Eller, Jethro Tull e uma bela história

Uma fã, ao perguntar no ano passado para Nando via Facebook sobre a cor do All Star de que tanto gosta, surpreendeu a internet ao ser respondida. O cantor explicou que era azul claro e não azul marinho. Pouco tempo depois, Nando postou um vídeo em seu canal no YouTube, explicando a quem não sabia a história por trás da canção (você confere o vídeo no final da matéria).

Seu interesse pelo modelo All Star surgiu durante a sua adolescência, por conta da banda inglesa Jethro Tull. Um dos lançamentos do grupo, a semi-coletânea Living in the Past, continha uma foto que mostrava o vocalista Ian Anderson usando um All Star preto de cano alto. Na época, a mãe de Nando viajaria para os Estados Unidos, o que foi a deixa perfeita para conseguir um tênis semelhante. Ele viria a usar o seu próprio “preto de cano alto” durante algum tempo, mas o deixou guardado por ter se acostumado com o uso de sapatos.

Certo tempo depois, Nando e Cássia Eller passariam a trabalhar juntos. Mas, enquanto o então baixista do Titãs estava acostumado a usar sapatos, Cássia sempre foi adepta ao uso de tênis. Ela sempre usava seus modelos All Star, mas um deles despertou o carinho e a atenção do cantor: o azul de cano baixo. Em uma vez, durante uma turnê de sua banda, Nando apareceu com seu antigo All Star preto e Cássia, acostumada a ver o amigo de sapato, adorou.

Esse foi, de acordo com Nando, o “mote” para a composição de “All Star”. A metáfora da música, além de retratar a bela amizade entre os dois, é pintada em várias cores. O azul do tênis de Cássia junto a seu cabelo (na época pintado da mesma cor), o tênis preto de Nando, o fato de Nando ser ruivo, o bairro carioca das Laranjeiras (onde a cantora morava)…

Após a morte de Cássia, sua família deu a Nando um de seus All Star. Ele era azul, mas não era o favorito de Nando. Era um azul escuro com cano alto.

Será que ele já descobriu o tal endereço?

Uma outra dúvida que fãs possuem diz respeito ao espaço retratado na música. É dito que o eu-lirico não sabe o endereço da “dona do All Star azul”. Mas, ao mesmo tempo, o refrão da música conta a localização com precisão (o décimo-segundo andar de algum edifício no bairro de Laranjeiras).

Nando Reis, paulista, estava brevemente no Rio enquanto produzia o disco Com Você Meu Mundo Ficaria Completo, de Cássia. Portanto, ele frequentava sua casa, sim, mas sempre fazia o percurso de táxi. Um dia, quando Nando quis escrever uma carta para Cássia, ele se tocou que não sabia o endereço exato. Uma vez que isso seria necessário para enviar a carta, ele precisou conferir com a própria. Essas cartas são guardadas pelo compositor até hoje, disponibilizadas pela companheira de Eller, Maria Eugênia Vieira. A primeira das cartas enviadas por Nando tinha uma sugestão de música para ser interpretada por Cássia: “Woman Is The Nigger Of The World“, parceria entre John Lennon e Yoko Ono.

Esta e outras histórias estão explicadas em outro vídeo divulgado por Nando em seu canal oficial.

Aniversário de 20 anos

Nem parece que tem tanto tempo assim que a música foi lançada. Talvez sua recorrência no cancioneiro popular, tal como a execução ainda constante dela em rádios, tenha feito nós pensarmos de maneira diferente.

Em comemoração aos 20 anos do lançamento desse atemporal hit, Nando postou em sua conta no Instagram fotos que mostram a evolução da letra de “All Star“. Ao longo da composição da música, alguns versos foram alterados de forma a caber melhor na melodia. “Estranho seria se eu não me apaixonasse por você”, por exemplo, foi escrito originalmente como “Estranho é estar tão apaixonado por você”. A versão final, de acordo com a postagem, foi redigida oficialmente entre os dias 16, 17 e 18 de Julho de 1998.

Na postagem abaixo você confere a evolução da letra, com a letra do próprio Nando Reis.