Queen - Queen
 

Convenhamos, atualmente o rock não vive seus melhores dias, principalmente no que diz respeito ao mainstream.

Mas o cenário era diferente há exatos 45 anos. Em 1973, bandas como The Rolling Stones, Led Zeppelin, The Stooges e Pink Floyd lançavam incríveis trabalhos autorais e alcançavam grandes públicos.

No dia 13 de Julho daquele ano mais uma grande banda de rock surgia e seria eternizada como uma das melhores de todos os tempos: Queen. E, sim, o álbum também foi lançado em plena sexta-feira 13.

 

Rock progressivo e heavy metal na voz do icônico Freddie Mercury

Na época, a banda ainda não tinha o reconhecimento que tem hoje como uma banda de rock de arena (visto a projeção alcançada pelos futuros hits “We Will Rock You” e “We Are The Champions“). A maioria das canções se assemelhava a trabalhos de bandas já consagradas, com inspirações claras em bandas de hard rock e heavy metal.

Mas o Queen tinha um diferencial no potencial da voz do vocalista Freddie Mercury. Ele, junto ao guitarrista Brian May, é responsável pela composição de 9 das 10 músicas do álbum. A única canção que fugiu desse padrão foi “Modern Times Rock ‘N Roll“, composta pelo baterista Roger Taylor.

Roger, inclusive, formou a banda mesmo tendo recebido um convite para tocar bateria no grupo Genesis, vaga que foi dada a Phil Collins. Coincidentemente, vale lembrar que foi Collins que, em 1985, “inventou” o Dia do Rock ao criar o festival Live Aid, que contou com a participação da banda Queen.

A homônima estreia não é de fato não é o álbum mais conhecido do Queen. Isso porque eles ganharam cada vez mais notoriedade no cenário do rock britânico até a explosão mundial com os hits de seu quarto trabalho, A Night at the Opera. Mesmo assim, Queen, além de apresentar ao mundo um dos melhores vocalistas da história, também contou com músicas incríveis como o single “Keep Yourself Alive“.

Para os membros da banda, foi tudo uma questão de evolução. De acordo com entrevista concedida ao veículo Guitar Magazine cerca de um mês após o lançamento do álbum, Brian May falou sobre inovação e influências:

Nós gostamos de algumas coisas do álbum, mas às vezes caíamos na armadilha do excesso de arranjos. (…) Em um nível pessoal, foi frustrante para mim demorar tanto para perceber isso. Eu queria gravar músicas com, por exemplo, múltiplas guitarras há cinco anos atrás. Agora eu finalmente fiz isso, mas outras pessoas também já fizeram, o que acaba sendo um pouco decepcionante. Mas você precisa se desapegar da ideia de que tocar música é uma competição. Você tem que fazer o que acha que é importante.

 

O legado

O legado do Queen se estende até hoje. Foram um total de 15 álbuns lançados entre 1973 e 1995, com uma lista de músicas que entraram para a história. Aqui no Brasil, muitos viram o Queen ser uma das principais bandas da primeira edição do Rock in Rio. Ainda hoje, o grupo se apresenta na companhia do também icônico vocalista Adam Lambert, que se apresentou na edição de 2015 do festival, fazendo com que muito revivessem um momento incrível.

Até filme baseado na história da banda já tem data para sair, ainda em 2018.

Obrigado, Queen!

LEIA TAMBÉM: Do Heavy Metal ao Stoner – as 10 músicas mais pesadas da carreira do Queen