Dave Grohl e Meg White
Fotos: Reprodução e Wikimedia Commons
 

Dave Grohl deu uma nova entrevista para a revista Rolling Stone e por lá falou sobre diversos aspectos da carreira.

Um deles foi especificamente sobre a bateria, seu instrumento de origem, e quando questionado sobre o que faria se o Rush lhe convidasse para substituir o lendário Neil Peart nas baquetas, ele cravou:

Eu diria, ‘Não sou fisicamente ou musicalmente capaz, mas obrigado pela oferta.’ Neil Peart, ele é um animal completamente diferente, outra espécie de baterista. Eu conheço os arranjos, mas sou como a Meg White perto de Neil Peart. E ela é uma de minhas bateristas favoritas! Ela é a baterista favorita da minha filha também. A minha filha toca bateria com dois tipos básicos de música: White Stripes e AC/DC. Eu falo, ‘É exatamente isso que você precisa estar fazendo.’

O repórter então diz que o também talentosíssimo Questlove elogiou Meg White recentemente, e Dave Grohl continua falando a respeito:

Ela é uma daquelas bateristas que se você ouvir 15 segundos da música, já saberá quem é, e isso para mim sempre foi o certificado de ouro. Esse sempre foi o desafio. Você quer saber quando ouve, tipo, ‘Ah, esse é John Bonham.’ Ou, ‘esse é Charlie Watts. Esse é Ringo. Esse é Stewart Copeland. Essa é Meg White.’ E isso não é fácil. Isso significa que você está tocando com o coração. Ela é ótima, cara. Sério. Tipo a música da campainha [‘My Doorbell’]? Ugh. Vamos lá. Uma das minhas batidas favoritas de todos os tempos. É um clássico. É um riff.  Isso é composição, mas com baquetas na sua mão. É bom pra caralho.

Ao final da entrevista que pode ser lida aqui, Dave Grohl ainda falou como a sua mãe temia que ele ficasse com a Madonna, e o líder do Foo Fighters explicou:

Foi na época do filme Na Cama com Madonna. Ela disse, ‘Eu não quero que você namore com ela.’ E eu falei, ‘Mãe, não se preocupe. Até parece que isso iria acontecer.’ Ela é muito engraçada.