Perry Farrell em 2016
Foto de Perry Farrell via Shutterstock
 

Após a morte de Anthony Bourdain, o cantor Perry Farrell compartilhou uma série de tweets falando sobre assuntos sérios como depressão e suicídio.

Ao longo dos últimos meses, o mundo da música perdeu vários nomes queridíssimos pelos fãs por conta de problemas relacionados à saúde mental. Em suas mensagens, Farrell revelou estar em conflito e que leva isso para o lado pessoal.

Façam uma oração para A.B [Anthony Boudain]. Quando alguém tira a própria vida, eles passam seus últimos momentos sozinhos. Francos. Sem razão (para viver). É uma noção tão dolorosa. Eu levo isso para o lado pessoal. Por que vocês não querem mais estar perto de nós? Vocês não sabem o quão diferente a vida poderia ser com 1 alteração? 1 alteração…

Às vezes, o melhor negócio que você faz é aquele que você nunca poderá fazer… O que leva uma pessoa a tirar a própria vida? Eu não consigo responder isso.

Ele também diz aos seus seguidores que é necessário saber “perdoar” essas pessoas, mas acaba falando que quando uma pessoa tira a própria vida, ela “continua vagando pelo planeta”.

Perdoem qualquer pessoa que esteja com tanta dor que isso a faça tirar a própria vida. Com uma dor maior do que consegue suportar. O que eu estou dizendo a vocês é bem difícil de ouvir. Aqueles que tiram a própria vida dessa forma estão em uma posição de suspensão. Elas ainda não ascenderam. Elas vagam pela terra.

Em seguida, ele comenta sobre uma experiência que teve ao conversar com um “anjo” que havia tirado a própria vida.

Olha, eu sou a fonte de notícias sobre sabedoria esotérica. Você pode confiar em mim. Tive um encontro real com uma visita de energia (um anjo). Eu sinto que agora é a hora de revelar isso a vocês, porque ela era uma alma que havia tirado a própria vida. Nós conversamos por aproximadamente 10 minutos.

Eu não posso dizer a vocês para qual lugar as pessoas vão após morrerem, mas eu posso dizer aonde essa pessoa com a qual eu conversei foi, porque ela disse para mim. Ela disse que ‘viaja pelo mundo’, e que estava ‘muito cansada’. A voz dela soava cansada. Não parecia feliz, apenas conformada com as suas ações.

Eu desejo e espero e faço orações para que eles [Cornell, Bourdain] estejam livres. Como eu disse — eu não sei para onde vamos. Mas estou revelando a vocês hoje que foi isso que ela me disse. E pela descrição dela, ela estava em um acampamento. Ela usou o plural ‘nós’ quando começou a falar. Eu estava apenas ouvindo.

Eu penso muito naquela noite — todos os dias da minha vida. Isso aconteceu em 1993, eu acho. Eu não lembro o dia exato. Vou perguntar pra minha irmã. Eu liguei pra ela [no dia], existem provas disso. A impressão é algorítmica. Inicialmente secreta — [mas] agora, eu acho que é hora de ser compartilhada. Tentem entender.

Pois é…

Você pode conferir os tweets do músico logo abaixo.