Foto: Divulgação
 

A poesia e a música são artes que sempre andaram juntas. Seja em letras, em clipes, em coreografias ou em apresentações, o lírico sempre esteve ali ao lado da melodia. Mas a Bratislava quis elevar essa mistura.

Em seu novo EP, Aprender a Morrer, a banda chamou o poeta Victor Rodrigues para inserir a leveza e até obscuridade de sua palavra falada no rock do grupo. Com seu estilo e voz lírica, Victor cria crônicas urbanas sussurradas ao ouvido em um novo modo de pensar um livro.

A relação do vocalista Victor Meira com o poeta já vem de longe, e o projeto estava sendo planejado, despretensiosamente, há anos. Em comunicado de imprensa, o músico declarou:

Desde o começo, os poemas do Victor me chamaram atenção, pelo caráter narrativo. Tenho certa dificuldade em assimilar certo tipos de poema em récitas, por conta da velocidade da fala. Mas os dele, apesar de quase sempre longos, eram muito coesos e divertidos ao seu modo, sempre gostei muito de sacar tanto recitados quanto lidos. Passei a acompanhar as atividades dele não só como poeta, mas como articulador cultural, na realização de saraus e workshops. Em 2013, lembro que almoçamos juntos e nesse almoço sonhamos com um projeto em parceria, de música com poesia, mas como quem joga ideias no vento, sem pretensões.

Por outro lado, Victor Rodrigues afirmou sempre ter tido uma conexão muito forte com a música.

Fui uma criança um pouco sozinha e ouvia muita música. E era muito curioso, gostava de pegar os encartes dos CDs pra ficar lendo as letras, adorava o jeito que as bandas faziam isso. Lembro que o primeiro CD que chapei nas letras foi do Skank. Ganhei o primeiro e depois pedia todos os outros de presente, sempre lendo as letras.

A Bratislava é formada por Sandro Cobeleanschi (baixo), Lucas Felipe Franco (bateria), Alexandre Meira (guitarra) e Victor Meira (vocais e sintetizadores).

Aprender a Morrer já está disponível nas plataformas digitais via Sagitta Records. Assista aos clipes abaixo:

 
 
Compartilhar