Fuck Youth
Foto: Marcelo Valle
 

A banda Fuck Youth nasceu no Rio de Janeiro (RJ), no início deste ano, unindo integrantes experientes do underground carioca. O vocalista e guitarrista Alexandre Bolinho (Kopos Sujus, Cidade Chumbo), o baixista Leandro Santiago (Obscene Capital) e o baterista Jean Albernaz (A Batida que seu Coração Pulou) formam o trio de garage punk que acaba de divulgar o seu EP de estreia.

O trabalho homônimo é composto por cinco faixas, fazendo um rock cru e minimalista, como o próprio grupo define. Gravado no Estudio La Cueva, com o amigo da banda, Cris Vir, o EP é direto e teve o seu instrumental registrado ao vivo.

Sobre o início do Fuck Youth, Bolinho conta que em janeiro enviou uma mensagem convidando Jean e Leandro para fazerem um som “meio Dead Boys, meio Rocket From The Crypt, L7, com letras bem curtas e poucos acordes”. Como todos estavam menos ativos com suas outras bandas, foi fácil partirem para os ensaios.

“No primeiro encontro de quatro horas no estúdio já tínhamos cinco musicas. Em um mês, 10 sons. Em dois meses começamos a fazer shows. E este primeiro EP é um registro deste início da banda”, explica o vocalista, que cita também a diversidade de influências que compõe o grupo. “Brincamos que algumas músicas poderiam ser tocadas no CBGB e outras parecem ter saído de um álbum da Gravadora SubPop”, completa.

A respeito do processo de registro, Bolinho diz ter sido fácil e rápido:

Em uma sessão gravamos os instrumentais, ao vivo. Em uma segunda, gravei as vozes, curiosamente no mesmo dia em que velamos no Rio o corpo de Marielle Franco. A galera queria desmarcar e eu pedi que não, queria registrar as vozes com toda a raiva, tristeza e indignação que vivíamos naquele dia. Fomos ao ato/velório dela e saímos direto pro estúdio. E em duas semanas mixamos e masterizamos.

O resultado você confere logo abaixo, com um pequeno faixa a faixa:

“Você Nunca Disse” – escolhemos essa faixa para abrir por ser uma música que dá uma ideia da banda: instrumental pra cima, quase alegre, e uma letra minimalista e amarga.

“Fora do Lugar” – é um rockão daqueles pra ouvir alto na estrada, urgente e rápido.

“Só no Vagão” – é um rock pesado e lento, com uma letra abstrata, composto totalmente em jams durante os intervalos dos ensaios. É uma música que aponta mais o caminho que estamos seguindo hoje, com as músicas novas.

“Iconoclastia” – é uma balada indie, com uma guitarra inspirada nas bandas como cap’n’jazz, mas com uma letra também irônica/ cínica.

“Ressaca” – fecha o EP prestando nossas honras à origem “Ramônica” dos três.

 
 
Compartilhar