James Blake
Foto: Divulgação
 

O cantor James Blake recentemente lançou uma nova canção inédita, a excelente “Don’t Miss It”. A música retrata sentimentos melancólicos sobre perdas de oportunidades e relacionamentos não correspondidos, e vem sendo elogiada por boa parte da mídia e pelos fãs.

No entanto, a maneira como a faixa está sendo classificada por alguns veículos de comunicação acabou incomodando o músico. O termo “sad boy” [menino triste] está sendo cada vez mais utilizado para descrever canções sentimentais lançadas por artistas do sexo masculino.

Após a divulgação de “Don’t Miss It”, sites como a Pitchfork utilizaram o termo para descrever a nova música de Blake e ainda relataram que o músico deveria “abandonar a tristeza e ir para uma pista de dança”.

Em sua resposta, o cantor entrou em detalhes sobre o quão prejudicial é criticar o ato de artistas masculinos transmitirem suas emoções através da música.

“Eu não consigo deixar de notar que, sempre que eu falo sobre meus sentimentos em uma música, as palavras ‘sad boy’ são utilizadas para defini-las”, escreveu Blake em seu Twitter, explicando que o rótulo é “problemático”:

Eu sempre achei essa expressão doentia e problemática quando utilizada para descrever homens falando abertamente sobre seus sentimentos. Rotular dessa forma, quando nós nem questionamos mulheres quando elas discutem as coisas que enfrentam diariamente, contribui para a desastrosa estigmatização histórica de homens que se expressam emocionalmente.

James Blake ainda aponta que vivemos numa época onde o índice de suicídio e depressão entre homens está cada vez mais alto, e que esse tipo de atitude seria prejudicial para a resolução desses problemas.

Nós não precisamos de mais provas de que machucamos homens ao questionar as suas necessidades de serem vulneráveis e francos. É sempre bom falar o que você pensa. Não deixem que pessoas que sentem medo de seus próprios sentimentos zoem você por ser sincero ou se identificar com músicas que te ajudam.

Não existe vitória para o machismo. O caminho para a saúde mental e para a felicidade, que eu sigo passionalmente, é pavimentado com honestidade.

Você pode conferir a resposta completa do músico logo abaixo.

   
 
Compartilhar