Keith Richards em 2013
Foto via Shutterstock
 

Houve um período em que seria inimaginável ter uma figura como Donald Trump no posto de Presidente dos Estados Unidos.

A ideia de que um milionário que nunca fez muita coisa para conquistar sua fortuna, herdada da família, e sempre tratou as pessoas com o máximo de desrespeito, seria o líder do país mais influente no mundo inteiro chegou até mesmo a ser considerada uma piada, mas hoje é uma realidade das mais amargas.

Quem quase evitou que isso acontecesse foi Keith Richards, guitarrista imortal do lendário The Rolling Stones, que ameaçou o cara com uma faca em um episódio sobre o qual falamos a respeito no passado por aqui.

Prestes a embarcar em uma nova turnê que terá convidados especialíssimos, o Rolling Stones tem dado entrevistas e em uma delas para a BBC, Richards falou sobre o episódio, dando até uma cutucada nos eleitores norte-americanos:

Ele era o promotor do nosso show em Atlantic City [na turnê Steel Wheels, em 1989].

O anúncio foi feito como ‘Donald Trump apresenta os Rolling Stones’ e o nome da banda estava escrito em letras minúsculas.

Eu peguei a minha lâmina de confiança, a cravei na mesa e disse: Você tem que parar com isso, cara.’

Agora são os EUA quem têm que se livrar dele. Não diga que eu não avisei!

Mick Jagger

Quem também falou a respeito de política foi o vocalista Mick Jagger, que abordou o Brexit, movimento britânico para deixar de fazer parte da União Europeia:

Eu não estou feliz com o status quo. No Reino Unido eu acho que estamos passando por um momento difícil. É muito complicado entender todas as dificuldades que estamos tendo com o Brexit.

O governo atual parece estar lidando com um período muito difícil para superar. Todo mundo gostaria de ter uma solução rápida e uma frente unida ao invés de uma separação.

O último disco de estúdio do Rolling Stones é Blue & Lonesome, de 2016, um álbum de covers de clássicos do blues.

LEIA TAMBÉM: The Rolling Stones e Paul McCartney devem voltar ao Brasil em breve