TIDAL é acusado de falsificar número de streams de Beyoncé e Kanye West

A empresa negou as acusações e disse que irá "combatê-las"

TIDAL
  

O TIDAL, serviço de streaming criado pelo rapper Jay-Z, está sendo acusado de falsificar números de streaming de Beyoncé e Kanye West para conseguir pagamentos maiores para os dois artistas.

A denúncia veio do jornal norueguês Dagens Næringsliv, que fez uma extensa matéria detalhando ter encontrado “bilhões de informações” sobre títulos de músicas, IDs de usuários e códigos de países em um HD contendo informações sobre a empresa.

O jornal está afirmando que “os números de Beyoncé e Kanye West no Tidal foram manipulados na ordem de centenas de milhões de reproduções falsas”, uma prática que teria “gerado pagamentos de royalties massivos às custas de outros artistas”, como aponta a Rolling Stone.

A investigação começou em 2016, quando a empresa afirmou que o último álbum lançado por West havia conquistado 250 milhões de streams em seus primeiros 10 dias, enquanto as músicas do último álbum de Beyoncé teriam sido tocadas 306 milhões de vezes em seus primeiros 15 dias.

Naquela época, o serviço supostamente teria uma base de 3 milhões de usuários, o que significaria que cada usuário teria tocado o álbum 12 vezes por dia.

O jornal norueguês levou essa descoberta para a Norwegian University of Science and Technology, que juntou uma equipe de peritos para averiguar a situação. O artigo de 78 páginas gerado pela equipe concluiu que os dados foram manipulados por conta de “uma grande presença de gravações duplicadas” para uma grande porção da base de usuários do serviço.

Em sua defesa, o Tidal afirma que as informações são falsas. “Essa é uma campanha suja de um jornal que uma vez se referiu a um empregado nosso como um ‘oficial de inteligência israelense’ e ao nosso dono como um ‘traficante de crack'”, a empresa comentou em uma declaração para a Rolling Stone.

“Nós não esperávamos nada menos que essa história ridícula vindo deles. As informações foram roubadas, manipuladas e iremos combatê-las vigorosamente”, completaram.

Você pode conferir mais informações sobre a notícia clicando aqui.

 
Compartilhar

Comentários