Chris Brown em 2016
Foto de Chris Brown via Shutterstock
 

Chris Brown tem um novo processo de assédio pela frente.

O músico está sendo acusado de planejar, ajudar e incitar um caso de abuso sexual que aconteceu em 2017 durante uma festa em sua casa.

O processo foi registrado na Justiça hoje mais cedo pela advogada Gloria Allred, que representa uma cliente cuja identidade real está sendo mantida em segredo e é identificada como Jane Doe.

Gloria tem mais de 40 anos de experiência no ramo, é conhecida como uma defensora ferrenha dos direitos das mulheres e em coletiva de imprensa disse que esse é um dos casos de abuso sexual “mais terríveis” que ela já viu em todos os tempos.

Ela chegou a inclusive avisar os canais de televisão sobre como alguns dos detalhes presentes no processo não deveriam ser transmitidos por conta da sua natureza gráfica.

Festa e Abuso

Jane Doe, a vítima, foi a um show em West Hollywood e foi convidada para ir a uma festa no estúdio de gravação onde estavam Chris Brown e o rapper Young Lo.

Quando ela chegou ao local, seu telefone celular foi “confiscado” pois Brown não queria aparelhos no estúdio. Segundo Doe, ela logo quis ir embora mas seu telefone não foi entregue de volta e ela foi forçada a ir até a casa de Brown para que ele fosse devolvido.

Lá, ela relata que álcool e diversas drogas que vão da maconha à cocaína foram entregues aos convidados, e que cada uma das mulheres que estavam por lá receberam pílulas com um pó branco dentro, e ela deveria ser ingerida para que todos “se divertissem”. A vítima se recusou a tomar e optou por se isolar para que fosse deixada sozinha e esquecida, mas o pior acabou acontecendo.

Em um ambiente onde, segundo o depoimento, havia também diversas armas, Young Lo se recusava a devolver o telefone à vítima, e sua mãe chegou a entrar em contato com a polícia pois estranhou a demora da filha para chegar em casa, a localizando pelo rastreamento do telefone.

A polícia foi até o local mas Chris Brown se recusou a abrir o portão e não permitiu que os oficiais entrassem no local.

Estupro e violência

Jane Doe alega que Chris Brown, Young Lo e uma convidada identificada como Doe X, que seria amiga dos dois, usaram das drogas, do álcool e da intimidação para forçar as mulheres do local a terem relações sexuais com eles.

Os três levaram as mulheres da festa para um quarto e aí forçaram com que elas ficassem lá para que fizessem sexo no local, chegando ao ponto de colocar barreiras na saída.

Elas foram conduzidas a um local com quatro camas onde Chris Brown teria falado para que Young Lo colocasse um colchão na frente da porta e colocasse o volume no último volume, tanto da música quanto de filmes pornográficos, para que “quaisquer sons de resistência” fossem cobertos.

A ideia era criar um “ambiente hiper sexualizado” no quarto onde não havia chances de sair, e enquanto várias mulheres eventualmente começaram a fazer sexo com os dois músicos, a autora do processo se recusou e deixou claro que não gostaria de participar. Ainda assim, ela diz que foi obrigada a fazer sexo oral em Young Lo e na amiga dele, Doe X, e depois foi estuprada duas vezes pelo rapper em outros locais da casa antes de que a deixassem ir embora.

A moça foi até um centro de tratamento relacionado a casos de estupro, registrou boletim de ocorrência na polícia e participou de uma investigação que ainda está em aberto.

Ao falar sobre o caso, a advogada concluiu:

Jane Doe ficou extremamente traumatizada pelo que ela foi forçada a sofrer. Ela entrou com esse processo porque quer justiça para ela mesma, mas também quer que sirva de alerta para outras jovens mulheres a respeito do perigo em potencial que elas correm se têm seus telefones tomados e vão até a casa de Chris Brown.

Ela não quer que nenhuma outra mulher sofra com os violentos ataques sexuais que ela sofreu em um ambiente de armas e drogas.

A notícia foi dada pela Billboard, que entrou em contato com a assessoria de Chris Brown mas não teve resposta.

Chris Brown

Vale lembrar que esse não é o primeiro caso de violência envolvendo Chris Brown.

Em 2009 seu nome ficou um bom tempo nos noticiários após ele ter agredido sua então namorada na época, a cantora Rihanna, fisicamente. Ela foi atingida diversas vezes, inclusive no rosto, e precisou ser hospitalizada.

 
 
Compartilhar