Ex-baterista do Nirvana diz não se arrepender de ter deixado o grupo

"Eu não me arrependo porque eu sempre acreditei que as coisas acontecem por um motivo"

 

Apesar de ser frequentemente ofuscado na história do Nirvana, o baterista Chad Channing foi essencial para a carreira da lendária banda de grunge.

Channing tocou em quase todas as músicas de Bleach, o disco de estreia do grupo, e acabou saindo do Nirvana em 1990 por conta de “diferenças criativas”, levando o grupo a contratar Dave Grohl — e o resto é história.

Desde então, Channing participou de diversos projetos paralelos, um dos mais recentes sendo a banda Before Cars, com a qual lançou vários álbuns. Mas apesar de não ter tido o mesmo sucesso que Grohl teve ao sair do Nirvana, Channing diz não ter se arrependido da decisão de deixar o grupo.

Em uma entrevista para a KAOS TV, o baterista comentou:

Eu não me arrependo porque eu sempre acreditei que as coisas acontecem por um motivo. Por exemplo, eu era a peça do quebra-cabeça para a banda naquela época, e depois eles precisaram de outra peça para fazer outras coisas.

Nossas diferenças eram somente em um nível musical. Sempre continuamos amigos. Na verdade, eu lembro da primeira vez que assisti a um show deles com o Dave em um lugar chamado Ok Hotel. Era a primeira vez que eu via eles em um ano ou algo do tipo, e foi muito bom vê-los. Foi tipo, ‘E aí, como vão as coisas?’, foi tudo bem amigável.

Ao falar sobre sua relação com Grohl, ele continuou: “eu descobri que Dave era um cara muito legal. Então foi bem legal conhecê-lo também”.

Por fim, o baterista disse que se sente feliz só de ter participado de um pedaço da história da música.

Eu não tenho arrependimentos. Eu olho para aquela época e penso, ‘Wow, eu tive uma pequena participação em algo importante’. Então eu estou satisfeito com isso.

 
Compartilhar

Comentários