Eddie Vedder Pearl Jam no Lollapalooza Brasil
Foto por Aline Krupkoski/TMDQA!
 

É difícil não jogar as expectativas lá no alto para um show do Pearl Jam. E isso porque, toda vez, a banda consegue superá-las com maestria.

O grupo liderado por Eddie Vedder subiu ao palco Budweiser do Lolla Brasil neste sábado (24), responsáveis por fechar a segunda noite do festival. Com apenas alguns minutos de atraso, a canção “Metamorphosis Two” de Philip Glass, tocada nos alto-falantes do evento, anunciava a chegada dos caras de Seattle.

A primeira sequência foi simplesmente matadora: o grupo abriu com “Wash”, para seguir com a tríade “Corduroy”, “Do The Evolution” e “Why Go”. É para matar os fãs mais apaixonados do coração mesmo.

A interação do frontman com o público começou cedo e, como esperado, Vedder falou quase tudo em um português bom demais para pertencer a um gringo. Logo de início, o cara mandou:

É uma benção estar aqui com essa galera incrível hoje. São tantas bandas legais… Obrigado, Perry Farrell, por ter inventado o Lollapalooza. E também… vocês estão na TV, então vamos todos acenar para as nossas famílias!

Vale lembrar que essa é a primeira vez que a banda autoriza que seu show seja transmitido ao vivo aqui no Brasil. Anteriormente, em 2005 e 2013, as apresentações foram filmadas e exibidas semanas após seu acontecimento.

Foto por Aline Krupkoski/TMDQA!

A surpresa da noite veio com a presença de Perry Farrell, criador do Lolla e frontman do Jane’s Addiction, para quem Eddie cantou um “parabéns para você” adiantado. “O aniversário dele está chegando, mas como ele fez essa festa para todos nós, acho que iremos fazer uma para ele hoje,” disse o líder do Pearl Jam antes de embalar a cover de “Mountain Song” ao lado do cara.

A apresentação continuou com os grandes hits “Even Flow”, “Jeremy”, a nova “Can’t Deny Me” e “Sirens”. Pouco depois, Vedder prestou sua homenagem a David Byrne, que tocou no palco alternativo mais cedo.

Quero agradecer a David Byrne pelo show hoje. Ele é um gênio. Te amo, David.

Uma raridade no setlist foi “Hold On”, do álbum Vs. (1993), dedicada à fã Gabriela, que levou um cartaz ao festival pedindo pela canção. Logo em seguida veio a destruidora de corações “Black”, que fez boa parte do público do Lolla chorar largado.

A apresentação seguiu como uma celebração ao álbum Ten (1991), com as músicas “Once” e “Porch”, e neste momento Eddie Vedder se jogou (mais uma vez) na plateia. Depois de uma pequena pausa, a banda encerrou com “Smile”, “Comfortably Numb” — cover de Pink Floyd –, o hit “Alive” — com direito a Eddie distribuindo vinho pra galera da grade –, “Baba O’Riley” — cover do The Who — e fechando com a belíssima “Yellow Ledbetter”.

Como disse o próprio Vedder em português: impressionante! O frontman ainda chamou o Brasil de “a capital mundial do rock ‘n roll”, levando o público à loucura, e agradecendo por chamá-los de volta ao país.

Quem agradece somos nós, Eddie!