Bono, do U2
 

O cantor Bono acaba de compartilhar um pedido de desculpas em relação a diversas denúncias feitas contra membros da ONE, fundação criada pelo músico para prestar auxílio a comunidades pobres na África.

Vários funcionários da organização descreveram uma “cultura de bullying e abuso” no ambiente de trabalho na ONE, cujo escritório é localizado em Joanesburgo, na África do Sul.

Uma investigação foi feita pelo jornal britânico The Mail, revelando que membros da equipe eram constantemente “xingados, forçados a fazer trabalhos domésticos na casa de uma gerente, e forçados a fazer tarefas pessoais para superiores”.

Ambas as denúncias são direcionadas a Sipho Moyo, diretora executiva da ONE Africa. Segundo uma delas, Moyo teria diminuído o salário de uma empregada e a trocado de posição na fundação após ela ter se recusado a ter relações sexuais com um parlamentar da Tanzânia.

Em uma declaração ao jornal, o frontman do U2 disse que sua fundação “falhou com a tarefa de proteger os trabalhadores”, o que o teria deixado “abalado e furioso”.

Bono ainda diz que precisa “tomar parte da responsabilidade” pelo acontecimento.

Nossos profundos pedidos de desculpa. Eu odeio bullying, não consigo suportar isso. O bullying das pessoas mais pobres em lugares mais pobres é a razão pela qual criamos a ONE.

Em sua carta, o cantor ainda disse que pretende se desculpar pessoalmente para as pessoas afetadas com essa situação e disse que as devidas ações já foram tomadas em relação a Moyo.

Você pode conferir todos os depoimentos das vítimas, assim como a declaração de Bono na íntegra, clicando aqui.

 
Compartilhar