Foo Fighters impressiona novamente com grande show em Curitiba

QOTSA tem dia pouco inspirado e Ego Kill Talent conquista multidão na capital paranaense

Foo Fighters em Curitiba
Foto por Aline Krupkoski
 

A aguardada turnê de Foo Fighters e Queens Of The Stone Age pelo Brasil teve sequência ontem, quando ao lado do Ego Kill Talent os grupos tocaram em Curitiba.

O show aconteceu na belíssima Pedreira Paulo Leminski, local dos mais bonitos para apresentações de grande porte no Brasil, e que estava lotado para um fim de tarde e uma noite incríveis de rock and roll.

Em um dia com o clima tipicamente curitibano onde tivemos chuva, Sol, frio e calor alternando em questão de minutos, o horário dos shows tinha previsão de tempestade, mas ela não veio e todos os presentes puderam aproveitar ainda mais o que veio pela frente.

Ego Kill Talent em Curitiba
Foto por Aline Krupkoski

Tudo começou com os brasileiros do Ego Kill Talent. Pisando no palco às 18h30, a banda que tem se destacado como um dos principais nomes do rock and roll no país levou todo seu peso ao palco da Pedreira e conquistou a plateia logo na primeira canção.

Sempre um jogo duríssimo, tocar como banda de abertura é um imenso desafio mas pode se tornar uma baita oportunidade, e foi isso que aconteceu com o EKT. Na capital paranaense, a banda contou com um público solícito, interessado e que aplaudiu e prestou atenção na sonoridade o tempo todo.

Não apenas isso, era possível ver muitas pessoas cantando as canções do primeiro disco do Ego Kill Talent, e quando a meia hora chegou ao fim com “Last Ride”, teve gente na plateia pedindo por mais. O som estava impecável, a performance foi de muita entrega e não foram poucos os comentários pós-show que ouvimos de muita gente dizendo que se divertiu mais com eles do que com o QOTSA, como falaremos depois.

Nós do TMDQA! passamos o dia todo com a banda cobrindo os bastidores do evento através do Instagram Stories e não apenas pudemos levar de perto pra você como é o dia de uma banda em um evento tão grande, como também tivemos a oportunidade de presenciar como tudo que o Ego Kill Talent vem conquistando é fruto de muito trabalho.

 

Queens Of The Stone Age

Queens Of The Stone Age em Curitiba
Foto por Aline Krupkoski

Os shows do Queens Of The Stone Age são sempre muito interessantes para seus fãs e não dá pra negar que são verdadeiras aulas com músicos dos mais aplicados, mas para o público em geral a banda de Josh Homme tem uma tarefa difícil.

As performances costumam agradar as grandes massas quando o setlist proporciona uma viagem mais direcionada aos hits, e isso não aconteceu em Curitiba.

No primeiro show de São Paulo, como falamos por aqui, a apresentação foi bastante acessível, dançante e o público comprou a ideia do QOTSA.

Já na capital paranaense, canções como “Burn The Witch” que são verdadeiros presentes para os fãs, deixaram o resto do público bastante disperso. Era comum ver gente conversando, indo ao banheiro e se direcionando aos bares, e até mesmo em alguns momentos quando Homme perguntou ao microfone se as pessoas estavam se divertindo, a resposta foi tímida.

Queens Of The Stone Age em Curitiba
Foto por Aline Krupkoski

Josh, aliás, repetiu o discurso de São Paulo dizendo que o que mais importa na vida é o momento atual, então aquela noite era o mais importante, e disse que nasceu em uma cidade muito pequena, e jamais imaginaria que estaria por ali tocando para uma plateia tão grande.

Ele ainda mencionou o Foo Fighters, dizendo que todos são seus amigos e trata-se de uma das maiores bandas do mundo, e ao final do show, empurrou um poste de luz do palco até que ele caísse, levando os técnicos de iluminação à loucura.

Com um set que deve ter agradado os fãs fieis, o Queens Of The Stone Age fez um show truncado em Curitiba, e mostrou que essa variação entre grandes apresentações e performances mais “difíceis” tem sido uma constante na carreira recente.

Setlist – Queens Of The Stone Age em Curitiba (02/03/2018)

  1. My God Is the Sun
  2. Burn the Witch
  3. In My Head
  4. Feet Don’t Fail Me
  5. The Way You Used to Do
  6. Smooth Sailing
  7. The Evil Has Landed
  8. Sick, Sick, Sick
  9. The Lost Art of Keeping a Secret
  10. Make It Wit Chu
  11. If I Had a Tail
  12. Domesticated Animals
  13. Little Sister
  14. You Think I Ain’t Worth a Dollar, but I Feel Like a Millionaire
  15. No One Knows
  16. Go With the Flow
  17. A Song for the Dead

No One Knows. #QOTSA #QueensOfTheStoneAge

A post shared by Tenho Mais Discos Que Amigos! (@tmdqa) on

Foo Fighters

Foo Fighters em Curitiba
Foto por Aline Krupkoski

Com a Pedreira lotada, o Foo Fighters subiu ao palco como normalmente o faz: com muito barulho.

Dave Grohl entrou correndo, tocando sua guitarra e gritando muito, e a primeira música com “Run” (que teve até um errinho no começo) mostrou que o setlist seria muito parecido com o primeiro show de São Paulo.

A banda tem o jogo ganho e como comentamos por aqui essa semana, Grohl entendeu que seu grupo transformou-se em sinônimo de rock de arena, então incorporou a persona de mestre de cerimônias.

Ele corre, interage, faz piada, chama a plateia de “motherfuckers” e diz que isso é um elogio carinhoso, pois chama assim as pessoas que gosta, e desfila seu arsenal de hits com muita energia pelo palco.

Em alguns momentos as piadas são repetidas, como quando ele pergunta quem ali nunca tinha ido a um show, quem era fã old school da banda, e fala que vai tocar músicas de todos os seus discos.

O que mudou, porém, foram momentos como um mash up de “Imagine”, de John Lennon, com “Jump”, do Van Halen, que começou com a apresentação do tecladista Rami Jaffee e tornou-se uma cover divertida.

As tradicionais jams também estiveram presentes como em “Rope”, que se tornou uma longa canção cheia de improvisações e ao final teve a bateria de Taylor Hawkins sendo elevada com uma plataforma enorme, deixando o cara nas alturas para fazer um solo e para cantar “Sunday Rain”, que na sua versão de estúdio tem baterias de Paul McCartney.

Ao apresentar o baterista posteriormente, Dave disse que havia se declarado para ele, dizendo que era “o amor de sua vida”, então o baterista cantou “Love Of My Life”, do Queen, e foi acompanhado por milhares de pessoas em um momento incrível.

#FooFighters homenageando o #Queen em Curitiba! ❤

A post shared by Tenho Mais Discos Que Amigos! (@tmdqa) on

A tradicional cover de “Under Pressure”, quando Taylor e Dave invertem os papeis aconteceu sem participações de fãs da plateia, apesar dos muitos cartazes, e ainda veio “Blitzkrieg Bop”, dos Ramones, com a apresentação de Pat Smear. O guitarrista, inclusive, aproveitava os intervalos entre as músicas para, sempre sorrindo, beber champagne direto da garrafa e fumar um cigarro eletrônico.

Em “Times Like These”, quando ficou sozinho no palco, Dave Grohl falou sobre sua amizade com Josh Homme há mais de duas décadas e dedicou a canção a ele, e “Generator”, que aparece no set de vez em quando, deu as caras.

Foo Fighters em Curitiba
Foto por Aline Krupkoski

Antes do bis, Grohl e Hawkins apareceram no telão para provocar a plateia, fazendo sinais de que a banda tocaria mais uma, duas ou três canções, sempre pedindo pela resposta do público para cada número que mostrava.

Vieram três, com “Dirty Water”, “This Is A Call” e o hino “Everlong”, e mesmo sabendo que a saída da Pedreira é complicada em shows lotados, o público ficou ali até a última nota para ver tudo de perto.

Nos comentários pós-show, o que mais se ouvia era como as pessoas estavam impressionadas com a apresentação, as guitarras, os hits e a performance de Dave Grohl como um frontman.

Muita gente ali nunca tinha visto um show da banda e definitivamente saiu do local consolidando cada vez mais o grupo como um dos mais populares quando o assunto é rock and roll.

Setlist – Foo Fighters em Curitiba (02/03/2018)

  1. Run
  2. All My Life
  3. Learn to Fly
  4. The Pretender
  5. The Sky Is a Neighborhood
  6. Rope
  7. Sunday Rain
  8. My Hero
  9. These Days
  10. Walk
  11. Breakout
  12. Billie Jean / Imagine / Jump / Blitzkrieg Bop / Love of My Life
  13. Under Pressure (Queen cover)
  14. Monkey Wrench
  15. Times Like These
  16. Generator
  17. Big Me
  18. Best of You
    Bis:
  19. Dirty Water
  20. This Is a Call
  21. Everlong

E toma #FooFighters no show de ontem em Curitiba!

A post shared by Tenho Mais Discos Que Amigos! (@tmdqa) on

 

Comentários