Clipe de
Foto: Reprodução / Youtube
 

O duo The Kills lançou seu último álbum de estúdio, Ash & Ice, em 2016. Trabalhando com os frutos deste lançamento deste então, o álbum foi responsável por 5 das 12 músicas tocadas no elogiado show da banda no último Rock in Rio.

Desde então, a banda não lançou inéditas. A exceção foi uma cover de “Desperado“, da Rihanna, no EP Echo Home – Non-Electric EP, lançado ano passado. E os trabalhos de releituras aparentemente continuam com o mais recente lançamento da dupla, divulgado no último dia 1.

Hip-hop e reggae à la The Kills

Em formato de single, a dupla disponibilizou duas covers. A primeira delas, “List of Demands (Reparations)“, é cover do músico e escritor Saul Williams. A música foi originalmente lançada em 2004. Em depoimento a uma coletiva de imprensa, a vocalista Alison Mosshart elogiou e falou sobre a escolha, que julgou importante para o momento que vivemos:

É uma canção sobre força e empoderamento. É enraizada na ideia do crescimento pessoal. Foi uma das músicas que mais tivemos medo de tocar, porque ela tem um peso muito grande. Não é uma simples canção de amor, ou uma música que fale sobre drogas. Ela já é bem definida, séria e perfeita. Com certas músicas, você se sente como um invasor tentando cantá-las. Mas cantar essa música, no final das contas, foi tão confortável quanto cantar uma das nossas.

Não menos impressionante, a outra canção divulgada é uma releitura de “Steppin’ Razor“. A canção, escrita em 1967, ganhou reconhecimento na voz do jamaicano Peter Tosh, ex-membro do grupo The Wailers. Futuramente, ele se tornaria um nome importante do movimento Rastafari.

Originalmente um reggae, a canção já ganhou uma versão feita pela banda Sublime em 1994, como uma das faixas de seu segundo álbum de estúdio, Robbin’ the Hood. A releitura do The Kills deu uma roupagem de rock alternativo à música.

A cover de Saul Williams ganhou um clipe dirigido por Ben Strebel, que já trabalhou com o grupo Phoenix. No vídeo, a dupla aparece algemada em um cenário escuro, semelhante a uma sala de interrogação.

O vídeo, tal como o single lançado e as respectivas canções originais, estão disponíveis nos players abaixo: