Jim Carrey
Foto: Divulgação
 

O ator e comediante Jim Carrey declarou guerra ao Facebook através de uma mensagem em sua conta no Twitter nessa semana.

No tweet, que contém uma ilustração caricata de Mark Zuckerberg, o ícone de curtidas da rede social com o polegar pra baixo e o título fakebook, Carrey anunciou que estava vendendo suas ações da empresa e deletando sua página na rede social. O motivo? O Facebook teria lucrado com a interferência russa nas eleições presidenciais norte americanas do ano passado.

O ator também criticou a falta de atitude da plataforma na contenção das fake news através de artigos compartilhados por bots e perfis falsos na manipulação da opinião pública na época:

Eu estou largando as minhas ações do Facebook e deletando a minha página porque o Facebook lucrou com a interferência russa nas nossas eleições e ainda não estão fazendo o suficiente para parar com isso. Eu encorajo todos os outros investidores que se preocupam com o nosso futuro a fazerem o mesmo. #encerreaamizadecomofacebook”

Atualmente, o FBI tem investigado ativamente a relação que hackers russos e a equipe de Donald Trump tiveram com a intenção de influenciar o resultado das eleições para presidente dos Estados Unidos em 2016. O próprio Mark Zuckerberg já havia se posicionado no ano passado fazendo uma mea culpa, dizendo que de fato as redes sociais poderiam trazer um efeito prejudicial às disputas democráticas em períodos eleitorais, mas que o problema recai muito mais sobre o uso que as pessoas decidem fazer da plataforma, não da plataforma em si.

Além disso, o Facebook diz estar tomando uma série de medidas para evitar a propagação de links de artigos e notícias falsas e sem precedência, além de ter disponibilizado artigos com especialistas em uma espécie de debate que tem por fim fazer uma análise do papel e a influência que as redes sociais tem tomado na democracia moderna.

 

Compartilhar