Quentin Tarantino defendeu Roman Polanski em caso de estupro de menor

"Ele fez sexo com uma menor, e ela queria"

Quentin Tarantino em 2017
Foto via Shutterstock
 

Em 11 de Março de 1977, o diretor Roman Polanski foi preso enquanto estava na casa de Jack Nicholson por conta de acusações de estupro de uma menor.

Na época, ele foi acusado de ter abusado de Samantha Gailey, que tinha 13 anos de idade e teria sido abusada pelo cineasta, o que lhe rendeu 42 dias de prisão.

Nesse meio tempo ele se declarou culpado de uma das várias acusações, a de Relação Sexual com uma Menor, para aceitar um acordo que faria com que ele cumprisse a pena em liberdade condicional.

Acontece que pouco antes do julgamento, Polanski teria ficado sabendo que o juiz do caso mudara de ideia e ao invés de cumprir o acordo que as partes tinham celebrado, iria lhe condenar a 50 anos de prisão, o que fez com que um dia antes da sentença ele deixasse os Estados Unidos e fosse para a França, onde tem cidadania. Como deixou o país antes da decisão judicial, ele é considerado foragido desde então.

A vítima, que hoje atende pelo nome de Samantha Geimer, disse em entrevista que as autoridades demoraram a acreditar nas suas declarações, e em 1988 ela mesmo processou Polanski por assédio sexual, cárcere privado, sedução de menor e mais, e em 1993 o diretor aceitou fazer um acordo com ela.

Em 2009 ele foi preso na Suíça a pedido das autoridades dos EUA e várias celebridades de Hollywood o defenderam, pedindo para que ele fosse solto, e após ter ficado em prisão domiciliar, foi liberado pelo governo do país em 2010.

 

Alguns bons anos depois, Quentin Tarantino esteve no meio da polêmica após uma entrevista dele com Howard Stern em 2003 ter sido resgatada e publicada na Internet.

Nela, o também diretor defende seu colega dizendo que não considera o que aconteceu um estupro:

Ele não estuprou uma garota de 13 anos. Ele fez sexo com uma menor. Isso não é estupro. Para mim, quando você usa a palavra ‘estupro’, está falando sobre violência, sobre forçar alguém – é um dos crimes mais violentos do mundo. Você não pode usar a palavra ‘estupro’ de qualquer jeito. É tipo usar a palavra ‘racista’ de qualquer jeito. Ela não se aplica para tudo que as pessoas a utilizam. Ele é culpado de fazer sexo com uma menor…

Uma das pessoas que está no programa o interrompe dizendo que a então garota de 13 anos não queria fazer sexo com ele, e Tarantino é categórico:

Esse não era o caso, com toda certeza. Ela queria fazer sexo. Ela concordou com tudo.

Tarantino é vaiado e chamado de “louco” no programa, e você pode ouvir tudo isso logo abaixo. Ao ser criticado e contestado pelo apresentador do programa, que disse que Polanski deu “pílulas e álcool” para ela, Tarantino insiste dizendo que a garota queria e que só fez as denúncias porque sentiu a pressão da sua mãe.

Vale lembrar que recentemente o diretor foi bastante criticado por ter forçado a atriz Uma Thurman a dirigir um carro com problemas no set de Kill Bill, o que acabou levando a moça para um hospital com problemas que duram até hoje.

Comentários