Eric Clapton no Rio de Janeiro, 2012
Foto de Eric Clapton no Brasil via Shutterstock
 

Aos 72 anos de idade, o guitarrista britânico Eric Clapton já garantiu seu posto entre os grandes da história.

Tendo excursionado ao final de 2017 pelos Estados Unidos, o músico foi obrigado a cancelar uma dessas apresentações por conta de uma bronquite e, infelizmente, ao que tudo indica ele está lidando com uma série de outros problemas de saúde.

Em uma entrevista para a BBC Radio 2 ontem (09) para falar sobre o novo documentário Eric Clapton: A Life in 12 Bars, o guitarrista disse que irá continuar trabalhando e garantiu que vai se apresentar no Hyde Park, em Londres, no mês de Julho, naquele que pode ser um dos últimos shows da carreira.

Isso porque o músico disse que está ficando surdo, que tem tinido/zumbido nos ouvidos, e que suas mãos “funcionam mais ou menos”.

LEIA TAMBÉM: Tears In Heaven – a triste tragédia que inspirou clássico de Eric Clapton

No passado recente, Clapton disse que vinha sofrendo com doenças neurológicas e elas estavam influenciando nos seus braços e na habilidade para tocar guitarra:

Eu tive muitas dores no último ano. Começou com uma dor nas costas e se transformou no que eles chamam de neuropatia periférica [doença que causa fraqueza, dormência e dores nas mãos e pés devido a danos nos nervos].

É muito difícil tocar guitarra assim e eu tive que entender que essa situação não irá melhorar.

Apesar de tudo, Eric Clapton ainda diz que deve seguir trabalhando em estúdio gravando novas músicas:

O que eu irei me permitir fazer, dentro dos limites do razoável, é continuar gravando em estúdio. Eu não quero chegar ao ponto em que eu me envergonhe.

Sendo assim, o show de Eric Clapton no festival British Summer Time, em Julho, pode ser histórico e marcar a despedida de uma das maiores lendas da guitarra. Força, Clapton!

 
FonteEric Clapton
Compartilhar