M. Shadows, do Avenged Sevenfold
Foto de M. Shadows via Shutterstock
 

M. Shadows, o vocalista do Avenged Sevenfold, acaba de comentar sobre o futuro do Linkin Park em uma nova entrevista com Eddie Trunk.

Embora fãs estejam um tanto divididos na questão do grupo continuar sua carreira ou não após a trágica morte do vocalista Chester Bennington, Shadows é favorável à ideia de que o grupo tem “todo o direito de seguir em frente”.

Primeiramente, o cantor entrou em detalhes sobre sua relação com a banda, falando sobre sua amizade com Mike Shinoda e sobre o fato de ter ouvido One More Light, o mais recente álbum de estúdio do Linkin Park, antes de ser lançado:

Eu não conhecia muito bem o Chester; eu meio que o conheci brevemente, creio. Mas eu sou bem amigo do Mike Shinoda e do Dave [Farrell]. Eu e o Mike nos encontramos todo verão na época do Coachella e no Desert Trip ano passado, quando teve o Roger Waters, Paul McCartney e tudo mais. Então ele geralmente vem até a minha casa e nós passamos o fim de semana juntos. Na verdade, ele tocou esse álbum inteiro para mim antes de ser lançado, e ele era bem assustador na época, mesmo ouvindo as demos do Chester no disco. E após tudo isso acontecer, é simplesmente de quebrar o coração.

Eu acho que o Mike sabe que nós passamos por situações parecidas — mesmo que a morte do The Rev [baterista do Avenged Sevenfold] não tivesse sido um suicídio, você ainda está perdendo um amigo bem jovem. É insano.

Em seguida, M. Shadows comentou sobre a possibilidade da banda seguir em frente sem Bennington:

Eles são seres humanos e têm uma vida longa pela frente. E eu acho que se eles amam tanto assim a música, eles têm todo o direito de seguir em frente. Conhecendo Mike tão bem como eu o conheço, ele sempre foi, na minha opinião, o líder da banda — o cara que faz as coisas acontecerem, o cara que faz as demos serem gravadas, o cara que é obcecado por cada detalhe daquela banda.

É difícil perder Chester; ele era facilmente um dos melhores vocalistas da nossa época. Na época em que eu ainda estava crescendo, só de assisti-los ao vivo, ele era impecável no que fazia. E será difícil mas, ao mesmo tempo, Mike é um cara muito trabalhador, dedicado à banda e já pôs tanto tempo naquilo que eu não consigo vê-lo acabando com tudo agora.

Por fim, o músico falou que todos os membros da banda são “caras muito legais” e pediu aos fãs da banda que “deem a eles um tempo para se recuperar”:

Eles vão saber o que parece certo e o que parece errado. Seria uma pena se eles simplesmente parassem de gravar juntos. Eu não sei se sob um nome diferente ou se eles manteriam o nome do Linkin Park. Mas o Mike é a grande força naquela banda. Ele é meticuloso — ele é obcecado por todos os detalhes, desde a gravadora até o produtor que eles estão usando para fazer as batidas ou até mesmo o tipo de músicas que irão gravar — e eu simplesmente não consigo vê-lo abandonando isso. Eu não acho isso possível, e eu acho que seria uma pena se ele fizesse isso.

Você pode ouvir o podcast na íntegra clicando aqui.

Você concorda? Quem seria um bom nome para substituir Chester Bennington?

Vale lembrar que M. Shadows foi um dos convidados especiais do recente tributo que o Linkin Park fez a Chester Bennington com um show de quase três horas.