Nevilton_Adiante
Foto por Julianne Prado
 

Desde Pressuposto, seu primeiro EP, Nevilton é aquele músico que você sabe que sempre vai trazer uma palavra bonita para o seu dia.

Canções solares e assobiáveis marcam a sua trajetória e de “Singela”, que finaliza o já distante EP de 2010, a “Espero que Esteja Melhor”, também última do último disco de estúdio do rapaz, e também do já distante 2014, não ouvíamos falar muito nas novas aventuras do garoto de Umuarama, no interior do Paraná. Felizmente, ele voltou (como você tem acompanhado por aqui), e hoje lança o também último single de divulgação para Adiante, novo disco, que vem ao mundo no próximo dia 24 de Novembro.

Batemos um breve papo com o músico para saber como andam os preparativos para o lançamento e você acompanha abaixo. Mais abaixo, dê o play pra ouvir “Melhorar”.

TMDQA: O que está por trás da escolha do nome deste novo disco?

Nevilton: A pura e simples vontade de continuar, de não parar na pista. Por trás vem tantos anos ouvindo, pensando e tocando música, vivendo e passando por dificuldades e alegrias, que sempre que coloco na balança penso que faria tudo de novo e que farei sempre da melhor forma! Enfim, pensando nos próximos capítulos, adiante!

TMDQA: À primeira vista, as três canções que precedem o novo disco trazem uma sonoridade um pouco diferente, com a inclusão de novos instrumentos e ambientações. Como você percebe esse seu momento?

Nevilton: Apesar de “Melhorar” ser a canção mais “power trio” do disco, realmente soar assim não foi preocupação em nenhum momento enquanto arranjava essas músicas. Nos dois discos anteriores havia tal intenção, representar um tanto do que fazíamos enquanto trio nos palcos e foi um processo legal brincar com isso em estúdio. Já no Adiante a realidade é outra, a banda não tem mais um formato fixo e cada música soa na formação que achamos que tinha que soar.

TMDQA: O que fez você viver esse intervalo de 4 anos sem lançar um novo trabalho?

Nevilton: Lá em 2013, prestes a lançar Sacode! a formação da banda teve outra mudança, tivemos que correr com ensaios e preparações com outro parceiro na bateria e fazermos o show de lançamento e os primeiros shows da tour. Tal instabilidade me levou a “abrir” o formato (de power trio). De lá pra cá faço shows solo em violão/guitarra e loop station, em duo com o parceiro Tiago Lobão, duo de baixo e guitarra/violão ou duo de bateria e guitarra, power trio, trio de guitarra, bateria e percussão com o parceiro Michel Machado, ou tudo isso junto num quarteto e assim vai.

Para testar e flutuar entre esses formatos todos a gente levou tempo, pro show ficar firme e chegarmos no som que queríamos nas músicas de diversas formas. Paralelo a isso, participei de um monte de projetos muito bacanas, toquei David Bowie com o Daniel Belleza, alguns shows com a Seychelles, passei pouco mais de um ano tocando com as Vespas Mandarinas e tive algumas experiências sensacionais também com eles. Participei de pelo menos uns 7 tributos e coletâneas virtuais, além disso discotequei num bocado de festas, toquei violão e voz em restaurantes e eventos, fui vivendo e bancando essa história de ser artista no Brasil.

Enfim, fiz um montão de coisas e quando menos percebi, já tinha passado três anos e ainda não tinha gravado músicas novas minhas… e desde 2016 com o André Dea, Tiago Lobão e mais uma porção de parceiros e convidados, vim gravando esses sons que vocês estão conhecendo aos pouquinhos!

TMDQA: Porque lançar uma versão de estúdio e uma outra versão para cada um dos singles que precedem o novo disco?

Nevilton: Bom, naquela história de “não ter mais um formato fechado” para o som, você pode imaginar a loucura que está minha cabeça quando penso em escolher qual a versão para as músicas, né? A intenção nem é tanto ser versão estúdio e acústica, e mais ter versões lado B, seja em outras línguas como “Amarela-Amanecerá”, seja acústica e elétrica, seja em linguagens diferentes como uma mais rock, outra mais à la discoteca… os singles estão vindo com versões diferentes para já preparar o ouvinte que for a um show, e quiçá o show será em trio, ou será solo em violão e loopstation, ou com o apoio de uma banda de salsa… (risos)

TMDQA: O que “Amarela” e “Flores” têm em comum com “Melhorar”?

Nevilton: Também estão entre as minhas favoritas? (risos) Não vejo muita similaridade. “Amarela” tem saudade e sede de viver, de reencontro, de amar. “Flores” tem uma certa vontade de ajudar uma musa que não tem passado bem. “Melhorar” tem um pouco de cada e um desejo íntimo e constante que nossas vidas mudem para melhor. Que consigamos colocar nossos planos e projetos em prática, que mesmo que aos pouquinhos nos tornemos pessoas melhores com os outros e com o mundo, que paremos de esperar para viver… que vivamos e que seja como for, nas condições e humores em que estivermos, que entendamos que isso é a vida e sigamos Adiante.

TMDQA: Como foi a produção do novo trabalho?

Nevilton: Foi um processo bastante artesanal, ao mesmo tempo foi o que dediquei mais tempo e cuidado com detalhes e carinho com cada passo do processo. Desde a seleção do repertório, os testes de arranjos, gravamos muitas prés (eu e o Tiago Lobão gravando diferentes instrumentos), também chegamos a levantar algumas versões com outros bateristas parceiros (como o Bruno Castro e o Mark Paschoal). Quando decidimos de gravar tudo com o André Dea também foi um passo muito legal, de ele pegar as músicas para si, colocar o tempero dele ali no molho. O processo todo demorou um pouco, gravamos algumas coisas em casa, outras levando microfones e equipamentos de gravação no nosso parceiro, Estúdio Flamingo. Já algumas versões “lado B” dos singles eu gravei sozinho, brincando no homestudio. De forma muito natural e tranquila, como a vida poderia ser!

TMDQA: Como você espera que o público receba as novas canções?

Nevilton: Olha… torço muito para que ao menos recebam! (risos) Hoje com tanta informação, tanta coisa, tantos lançamentos ao mesmo tempo, chegar até as pessoas que estão afim de conhecer novas músicas já será um belo passo. A música chegando, sei que as pessoas certas irão gostar.

TMDQA: Um disco de presente pra você e para os fãs? (Nevilton lançará Adiante no próximo dia 24 de Novembro, quem também é conhecido como aniversário do moço!) Feliz aniversário (adiantado) Nevilton! O que você espera que esse novo ciclo te traga, tanto na vida como na carreira, com o novo disco?

Nevilton: Muito obrigado! É uma grande alegria lançar um disco assim no dia do aniversário. Bastante simbólico para mim, espero que seja o nascimento de muitos outros belos frutos. Que essas músicas entrem nas vidas de muita gente, que rolem muitos shows e viagens e consigamos apresentá-las em diferentes lugares, que elas reajam a diferentes climas e culturas e que logo venham mais músicas para um quarto disco!

Ouça abaixo “Melhorar” e clique aqui para acompanhar as novidades do Nevilton!