Pedestal de Chester Bennington
Foto: Reprodução / YouTube
 

Foi histórico.

Desde que um tributo a Chester Bennington foi anunciado pelo Linkin Park para acontecer no Hollywood Bowl com diversos convidados, nós já imaginamos que a data seria inesquecível.

Pois bem, o show aconteceu, a banda tocou por mais de três horas e definitivamente deixou seu vocalista orgulhoso, como era o objetivo com a hashtag oficial do evento, #MakeChesterProud

Tudo começou com um medley da banda apresentando “Robot Boy”, “The Messenger”, “Iridescent” e “Roads Untraveled”, em alguns dos raríssimos momentos em que os integrantes estariam desacompanhados de convidados especiais na noite.

Antes das atrações começarem a ser apresentadas e poucos minutos após o início do show, já tivemos um dos momentos mais marcantes entre tudo que rolou em Los Angeles: o instrumental de “Numb” foi tocado enquanto a plateia cantava os vocais de Chester a plenos pulmões e seu pedestal, decorado com flores, era iluminado e destacado no palco.

Depois desse momento incrível, os convidados começaram a aparecer e não pararam mais.

Ryan Key, do Yellowcard, foi o primeiro deles e cantou “Shadow Of The Day”, antes de Gavin Rossdale, do Bush, aparecer para “Leave Out All The Rest”.

Se Chester ainda estivesse entre nós, o Linkin Park estaria no Japão para uma turnê com o ONE OK ROCK, e foi Taka, integrante da banda, quem viajou até os EUA para cantar “Somewhere I Belong” com os caras.

Em “Castle Of Glass” vieram Tony Kanal, Tom Dumont e Adrian Young, 3/4 das bandas No Doubt e Dreamcar, e eles foram muitíssimo bem acompanhados pela sensacional Alanis Morissette.

Alanis, inclusive, tocou uma música inédita sua chamada “Rest”, que fala sobre depressão, e a dedicou para Chester.

Ao apresentar a próxima atração, Mike Shinoda disse que se tratava de uma indicação de Talinda Bennington, viúva de Chester que revelou que o seu marido adorava a voz de Steven McKellar, vocalista da banda Civil Twilight. O cara cantou em “Nobody Can Save Me” e apareceria em outras ocasiões mais pra frente também.

“Sharp Edges” e “Talking To Myself” ganharam os vocais de Ilsey Juber, enquanto “Heavy” contou não apenas com a participação de Kiiara, que aparece na versão de estúdio, como também de Julia Michaels, uma das autoras da canção.

Aqui vale destacar o fato de que Mike Shinoda, fundador do Linkin Park e “mestre de cerimônias” da noite parecia estar, ao mesmo tempo, muito emocionado e muito feliz pela congregação de artistas que estavam homenageando seu amigo e colega.

Ao falar entre as canções, ele raramente tirou o sorriso do rosto, e quando assumiu os vocais para “One More Light”, foi presenteado com um show da plateia e as luzes dos seus smartphones.

 

Logo depois veio a inédita “Looking For An Answer” e o único momento em que Mike falou sobre o futuro da banda.

O músico revelou que recebeu a notícia da morte de Chester quando estava em um ensaio fotográfico e passou um bom tempo em negação, sem ouvir o que as pessoas falavam e recorrendo à música.

Essa canção nasceu oito dias após a morte do amigo e Shinoda disse que “se a banda continuar” ele quer trabalhar mais nela e adicionar mais elementos a ela, além de compartilhar os passos da criação nas mídias da banda.

“Waiting For The End” e “Until It Breaks” tiveram a volta de Steven McKellar e a adição de Sydney Sierota, do Echosmith, enquanto “Crawling” contou com Oli Sykes, do Bring Me The Horizon e o mega produtor Zedd na bateria.

Antes da canção, Mike disse que o primeiro show que Oli viu do Linkin Park foi justamente o primeiro show da banda em Londres, para 500 pessoas, e que ele saiu em uma foto da Kerrang! gritando na plateia, à frente do palco, e hoje “ele tem as capas de revistas todas só pra ele”.

“One Step Closer” teve os vocais distintos de Jonathan Davis, do KoRn, e na sequência “A Place For My Head” foi muitíssimo bem representada por Jeremy McKinnon, vocalista do A Day To Remember.

“Rebellion”, do disco The Hunting Party, foi escrita em parceria com Daron Malakian, do System Of A Down, e ele não apenas apareceu por lá para tocá-la como também levou Shavo Odadjian, baixista da banda.

Nessa canção o grupo foi acompanhado de Frank Zummo (Sum 41) na bateria, e o mesmo continuou quando Shinoda chamou Deryck Whibley, vocalista da banda de Frank, para “The Catalyst”. Depois da canção, nomes como Metallica, Paul McCartney, U2, Guns N’ Roses e Thirty Seconds To Mars apareceram falando sobre o talento de Chester e suas experiências com ele.

Outra turnê que o Linkin Park deveria fazer se Chester não tivesse falecido era uma série de dois shows com o Blink-182, naquilo que ficou conhecido como Blinkin Park.

A banda de Mark Hoppus, Travis Barker e Matt Skiba subiu ao palco e primeiro mostrou ao mundo como sente a falta de Chester, com a própria “I Miss You”, para depois tocar “What I’ve Done” junto com os membros do Linkin Park.

Mike anunciou que a próxima atração seria a sua favorita de toda a noite e quando revelou que ela era o próprio público, nem precisou pedir para que todo mundo cantasse “In The End” com toda força que pudesse.

Depois da canção, a viúva de Chester, Talinda, fez um discurso agradecendo a banda, os fãs e falando sobre sua família e como o marido teria adorado aquela noite. Ela ainda falou sobre saúde mental, disse que precisamos cuidar dela tanto quanto cuidamos da saúde física e promoveu campanhas que tem organizado desde a morte do vocalista do Linkin Park.

A banda voltou ao palco para mandar ver em “Iridescent” novamente e aí, em um momento mágico, entrou em um túnel do tempo direto para 2014, em uma apresentação no mesmíssimo Hollywood Bowl, gravada em vídeo de alta qualidade.

Dessa forma, a noite contou com Chester em uma performance de “New Divide” que teve mais um dos tantos momentos emocionantes dessa inesquecível ocasião.

Ainda tivemos tempo para “A Light That Never Comes” com Steve Aoki e Bebe Rexha, além de “Burn It Down” com M. Shadows, do Avenged Sevenfold, e “Faint” que além de Shadows ainda teve o guitarrista Synyster Gates.

A noite se encerrou com “Bleed It Out” e uma invasão de palco onde boa parte dos convidados da noite apareceu para se despedir da plateia e homenagear Chester Bennington mais uma vez.

O clima no palco foi dos melhores durante todo tributo, e os momentos mais emocionantes eram acompanhados de parcerias musicais incríveis que Chester Bennington não apenas aprovaria como também celebraria com um sorriso no rosto.

O tributo do Linkin Park a seu vocalista foi memorável e esperamos que, de alguma forma, a banda siga em frente fazendo o que ama e atingindo os corações de tanta gente como já o fez até aqui.

Vale sempre lembrar que depressão é algo sério e que se você sente que precisa de ajuda, ela está disponível das mais diversas formas.

Converse com alguém, procure familiares e amigos, procure ajuda na música, e não se esqueça de que aqui no Brasil o Centro de Valorização da Vida tem inúmeras maneiras como você pode falar a respeito disso, tanto pela Internet, quanto pelo telefone ou até pessoalmente.

Obrigado por tudo, Chester. Obrigado por tudo, Linkin Park. Sua obra e essa noite jamais serão esquecidas.

Assista ao vídeo com a transmissão completa do tributo logo abaixo.

Setlist – Tributo do Linkin Park a Chester Bennington (Linkin Park & Friends)

  1. Robot Boy / The Messenger / Iridescent
  2. Roads Untraveled (estreia ao vivo)
  3. Numb (vocais da plateia)
  4. Shadow of the Day (com Ryan Key do Yellowcard)
  5. Leave Out All the Rest (com Gavin Rossdale do Bush)
  6. Somewhere I Belong (com Taka do ONE OK Rock)
  7. Unicorns & Lolipops (vídeo de Chester no telão)
  8. Castle of Glass (com Adrian Young, Tom Dumont, Tony Kanal e Alanis Morissette)
  9. Rest (música inédita da Alanis Morissette, cantada por ela)
  10. Nobody Can Save Me (com Steven McKellar do Civil Twilight)
  11. Battle Symphony (com Jon Green)
  12. Sharp Edges (com Ilsey Juber)
  13. Talking to Myself (com Ilsey Juber)
  14. Heavy (com Julia Michaels e Kiiara)
  15. One More Light
  16. Looking for an Answer (Música inédita escrita por Mike Shinoda após a morte de Chester)
  17. Waiting for the End (com Steven McKellar e Sydney Sierota)
  18. Crawling (com Oliver Sykes nos vocais e Zedd na bateria)
  19. Papercut (com Machine Gun Kelly)
  20. One Step Closer (com Ryan Shuck e Amir Derakh do Julien-K e Dead by Sunrise e Jonathan Davis do KoRn)
  21. A Place for My Head (com Jeremy McKinnon do A Day to Remember)
  22. Rebellion (com Daron Malakian e Shavo Odadjian do System Of A Down e Frank Zummo do Sum 41)
  23. The Catalyst (com Deryck Whibley e Frank Zummo do Sum 41)
  24. I Miss You (blink‐182 cover) (música tocada pelo Blink-182)
  25. What I’ve Done (com o blink‐182)
  26. In the End (plateia fez os vocais de Chester)
  27. Iridescent
  28. New Divide (vídeo de 2014 com Chester)
  29. A Light That Never Comes (com Steve Aoki e Bebe Rexha)
  30. Burn It Down (com M. Shadows do Avenged Sevenfold)
  31. Faint (com M. Shadows e Synyster Gates do Avenged Sevenfold)
  32. Bleed It Out (com todos os convidados)