A Supercombo é uma das bandas brasileiras mais prolíficas da atualidade.

Os integrantes do grupo se dedicam completamente ao projeto e você pode encontrá-los tanto nas plataformas de streaming quanto no YouTube, interagindo com os fãs, falando sobre games, mostrando como suas músicas são tocadas e muito mais.

Não à toa o canal do grupo conta com mais de 600 mil inscritos e agora eles embarcaram em uma nova empreitada chamada Sessions da Tarde, onde irão tocar todas as músicas que já lançaram em sessões de estúdio com um toque especial: cada versão terá uma banda parceira convidada.

Conversamos com Paulo Vaz, tecladista da banda, a respeito do projeto e você pode conferir nosso bate-papo logo abaixo.

Divirta-se!

 

TMDQA!: Vocês são conhecidos pela interação primorosa com os fãs, em diversas vertentes, e confesso que há poucas bandas no Brasil que fazem isso tão bem quanto vocês, principalmente quando a questão é variar as plataformas. O canal de YouTube já é bem movimentado, como surgiu a ideia dessas sessões que irão render os 52 vídeos ao final de tudo?

Paulo Vaz: Desde que passamos a pensar em conteúdos originais pro nosso canal de YT, no começo do ano passado, a ideia da Session da Tarde já existia. Queríamos revisitar todo nosso repertório autoral, mas de uma nova maneira. Começamos a notar que as ‘collabs’ que fazíamos ao lado de outras bandas e artistas tinham muita vazão dentro do nosso público e resolvemos seguir nesta linha, abrindo os horizontes para convidados de diferentes estilos, que de alguma forma pudessem dar caras novas às nossas canções.

 

TMDQA!: Inclusive, o número 52 é relacionado a todas as canções que vocês já lançaram, e cada artista convidado irá participar de uma releitura delas. Como vocês têm decidido os convites para os artistas e as músicas relacionadas a cada um? Será um desafio e tanto revisitar músicas mais antigas que vocês não têm tocado ao vivo, não?

Paulo Vaz: Nossos convidados são escolhidos pela própria banda e pela nossa equipe de produção. Em essência a gente chamou quem a gente curte ouvir, quem a gente acompanha o trabalho e admira o som. Seja alguém de uma geração anterior, como o Dinho Ouro Preto, ou que esteja fazendo algo novo e bom agora, como a Liniker e os Caramelows. A gente chama quem a gente sente que tem algo a comunicar não apenas com nossas músicas, mas com nosso público também. Quanto à reprodução de músicas mais antigas, tem sido um processo divertido e prazeroso, porque os arranjos são sempre pensados em conjunto com os convidados. Então é uma reinvenção completa, como se estivéssemos criando uma música do zero. Isso dá um frescor muito bom pro nosso repertório.

 

TMDQA!: A gente passa por um dos momentos mais incríveis da música brasileira nas últimas décadas e a união é vistas em todos os palcos e backstages Brasil afora. Como vocês enxergam isso e como tudo isso pesou na hora de montar o Sessions da Tarde?

Paulo Vaz: Acaba que é o principal objetivo da Session, né? Unir a galera que tá na pegada de fazer essa cena acontecer, que entende que quanto mais juntos estivermos, melhor pra todos. Usamos nossas músicas como espaço de união mesmo, abrindo nosso repertório pra artistas que nem sempre estão nas playlists dos nossos fãs. O que a gente quer mostrar com isso é que essa ideia de uma cena roqueira que não se comunica é balela. A gente não só se comunica como, quanto mais referências diferentes ao nosso redor aparecerem, melhor. Tem muita música boa sendo produzida por uma galera que dá duro, roda o Brasil, toca em festival, lança clipe, faz isso e aquilo. E a gente também faz parte disso tudo. Acho que esse é o caminho pra uma cena cada vez mais unida e consistente.

TMDQA!: Como vocês imaginaram a divisão desses vídeos todos? A primeira temporada terá 14 episódios e já foi toda gravada, certo? As músicas dela seguem alguma ordem cronológica na carreira da banda?

Paulo Vaz: A primeira temporada já tá toda gravada e vai ao ar até meados de dezembro. Não seguimos nenhuma linha cronológica para a exibição dos episódios, vai mais pelas sonoridades das músicas e em relação às mais pedidas pelos fãs: a ideia é equilibrar tudo isso ao longos de todas as temporadas.

 

TMDQA!: Esse ano vocês tocaram no Festival TMDQA! e até gravaram o clipe de “Bonsai” por lá, que é cheio de imagens de bastidores. Conte-nos alguma curiosidade dessas gravações e também das gravações das Sessions da Tarde!

Paulo Vaz: O mais surpreendente das gravações das Session tem sido descobrir as afinidades em comum entre nós e os convidados especiais. Nessas conversas a gente descobre muitas influências em comum, projetos semelhantes e nisso tudo vamos criando e abrindo cada vez mais contatos. Temos um grupo de whatsapp bem grande, com várias bandas juntas, e tudo isso veio da minha necessidade de organizar os convites pra Session com esse pessoal. A outra novidade que a Session traz de mais evidente é o Toledo assumindo a bateria, algo que pensamos em priorizar nos próximos shows da Supercombo para além da tour de Rogério.

TMDQA!: Normalmente perguntamos aos entrevistados se eles têm mais discos que amigos, mas com 52 canções em um especial como esse, a pergunta é outra: vocês têm mais músicas que amigos? Que músicas têm acompanhado vocês em momentos tão difíceis pelos quais o mundo passa ultimamente?

Paulo Vaz: Temos muitos amigos também (risos). Acho que até por conta da Session nesse ano fizemos mais, inclusive. E são desses amigos que vêm as músicas que mais temos ouvido também. Uma das que mais gostamos, como banda, e que já vimos ao vivo diversas vezes é “Triste Louca ou Má”, da galera do francisco, el hombre. Essa música é de um poder imenso e uma musicalidade incrível, somos fãs!

 

TMDQA!: Quais são os próximos passos na carreira da Supercombo?

Paulo Vaz: Pra este ano, além da divulgação da Session da Tarde, a gente segue na estrada com a tour de Rogério e teremos um lançamento de um single inédito, ainda sem data de estreia confirmada. Parados é que não ficaremos, então até dezembro tem muita coisa pra rolar.

 
Compartilhar