Jäger Grounds
(crédito: Babi Malvar)
 

Na última quinta-feira (28/9), em São Paulo, a marca alemã de bebidas Jägermeister realizou mais um evento do projeto Jägermeister Grounds no Brasil.

A ideia é ajudar a fortalecer a música independente em várias cidades, colocando bandas iniciantes e experientes pra tocarem juntas e bem perto do público.

Foi o sexto evento no país e o terceiro na capital paulista, e dessa vez o cenário foi o belíssimo Estúdio Aurora, em Pinheiros, zona oeste. O primeiro show, da banda Combover, começava às 21h30, mas às 19h já havia gente no longe do estúdio trocando ideia sobre música e degustando as doses de Jäger (confira a galeria de fotos no fim do post).

No horário marcado, todos foram convidados pra sala de ensaio ver o que o power trio paulistano tinha pra mostrar. Em um pocket show que durou mais ou menos 30 minutos, a banda mostrou uma mistura de punk com metal muito bem feita, com aquele som cru e poderoso que só os grupos de três integrantes nos proporcionam. Sem falar no interessante apelo visual de Don Carlón, na guitarra e nos vocais, Billy Lebowski no baixo e John Pohan na bateria.

Mais uma breve pausa pra recalibrar o fígado e logo a banda Test ocupou o mini palco montado na sala principal. Embora ela fosse grande e muito bem estruturada, ficou pequena pro público pulando ao som de death metal de qualidade. O duo formado por João Kombi na guitarra e nos vocais e Barata na bateria é explosivo. Os dois são exímios instrumentistas. João cria riffs usando matemática (de verdade) e Barata parece ter pilhas nos braços. O Test tem sete discos lançados e já se apresentou por toda a América Latina. Vale a pena conhecer.

Banda Jäger Grounds 3

(crédito: Babi Malvar)

Jão (Ratos de Porão) na guitarra, Capilé (Water Rats, Sugar Kane) nos vocais, Billy (Combover) no baixo e o homem-máquina Barata (Test) na bateria. Tá bom pra você? Essa foi a terceira formação da Banda Jäger Grounds, montada especialmente para encerrar o evento no Estúdio Aurora.

A missão do grupo era escolher uma música de uma das bandas que já passaram pelo projeto em anos anteriores, fazer uma nova versão e gravá-la. A escolhida foi ”A Diferença Entre Linces e Lobos”, da banda Cristo Bomba (assista ao clipe oficial da nova versão abaixo). Além dela, a banda de gala tocou mais dois covers de clássicos do punk e encerrou a noite jogando todo mundo pra cima. Mais uma noite de puro rock n’ roll pra provar que a música brasileira continua sendo representada por gente talentosa e muito bem intencionada.

O Tenho Mais Discos Que Amigos! fez a cobertura completa das edições do Jäger Grounds no Instagram Stories e também com textos aqui no site. Leia o anterior.