Noel Gallagher chora no We Are Manchester
Foto via CoS
 

Noel Gallagher resolveu se pronunciar sobre seu suposto choro durante um show recente.

Vimos neste último final de semana a reabertura do Manchester Arena, cujas atividades haviam sido suspensas desde o ataque terrorista de Maio. Na ocasião, 22 pessoas perderam a vida durante o show da cantora Ariana Grande. Agora, com o intuito de arrecadar fundos para a construção de um memorial permanente às vítimas, foi realizado um show beneficente no local e as atrações incluíram alguns ícones da cidade, como Noel, Blossoms, Courteeners, Pixie Lott e outros.

Ao final do set do ex-Oasis, durante a sempre emocional “Don’t Look Back In Anger” — que inclusive foi majestosamente adotada pela cidade como símbolo de perseverança — tudo havia indicado que até mesmo o mais carrancudo dos Gallaghers poderia se comover.

Em meio à última pausa da canção, Noel visivelmente limpa seus olhos do que possivelmente seriam lágrimas. Porém não foi bem isso que ele teve a dizer a Chris Moyles, da Radio X, na manhã de ontem (12 de Setembro).

Na verdade eu prometi a mim mesmo antes de subir [que não iria chorar], porque você tem que se separar disto e é muito fácil de se perder no momento. E quando você vê outras pessoas chorando e pessoas na plateia chorando… Eu li em algum lugar que eu estava chorando, mas receio dizer que eu não estava chorando.

Se o músico estava falando a verdade ou não, e se eram lágrimas ou suor, é difícil dizer. Ele sempre buscou manter uma imagem de intocável, porém com uma dose segura de momentos sentimentais. Essa música, por outro lado, sempre trouxe à tona o seu melhor, confundindo essa barreira de aparências e lhe garantindo uma forma de escape.

Seu efeito tanto em Noel quanto na plateia é inegável — basta lembrar daquela incrível performance na Argentina, durante a última turnê do Oasis, em 2009.

Já no Manchester Arena, Noel pode não ter derramado as lágrimas que muitos gostariam de ter visto (supostamente!), mas antes de tocar a canção, dirigiu-se à multidão e proferiu um belo discurso aos seus conterrâneos:

Se alguém aqui já teve alguma dúvida de que Manchester é a melhor cidade da Inglaterra… houve um minuto de silêncio e uma garota o quebrou e começou a cantar, e é impressionante como todos se reuniram em torno desta música que eu vou cantar. Ela se tornou uma espécie de hino de resistência. Toda as vezes que vocês a cantarem, nós venceremos, então continuem cantando.

Seu irmão, que foi tão rápido em criticá-lo pouco depois dos ataques e quando as supostas lágrimas foram anunciadas (“jogada de marketing”) preferiu deixar a história como está — por enquanto.

   
 
FonteNME
Compartilhar