Irvine Welsh em 2013
Foto de Irvine Welsh via Shutterstock
 

Irvine Welsh, romancista e roteirista escocês famoso por obras como Trainspotting e Porno, teceu críticas sobre a era do Britpop que marcou não só a Grã-Bretanha, mas boa parte do mundo nos anos 90. Durante uma entrevista ao jornal The Guardian, Welsh criticou o New Labour [Partido Trabalhista] de Tony Blair (que ocupou o cargo de primeiro-ministro do Reino Unido de 1997 a 2007), dentre outros tópicos:

Eu desprezava Tony Blair. Nunca caí nessa do Partido Trabalhista. Toda a era do Britpop me pareceu como se estivéssemos comercializando a cultura jovem britânica para o mercado globalizado.

Em 1993, enquanto o Britpop iniciava seu reinado, Welsh lançava seu primeiro romance, Trainspotting. Três anos mais tarde, o livro foi transformado no aclamado filme homônimo sob a direção de Danny Boyle, durante o auge do movimento, mudando sua vida para sempre. “Eu era uma espécie de celebridade,” comenta o escritor.

Foi divertido – várias lindas garotas querendo transar comigo. Mas isso fica intenso e depois de um tempo você não consegue mais sair para comprar leite sem que todos queiram falar contigo sobre Trainspotting.

Durante a esfera política da década de 90, é importante lembrar que Tony Blair tinha o apoio de fortes membros do Britpop, como o Oasis, a banda do povo e da classe trabalhadora. No discurso de aceitação de um dos muitos prêmios que a banda levou no Brit Awards de 1996, Noel Gallagher chegou a dizer que o político era uma das poucas pessoas presentes que estavam “trazendo um pouco de esperança à juventude deste país”.

Anos mais tarde, em 2013, até mesmo afirmou que não se arrepende de ter defendido o partido: “Foi uma ótima época na história. O controle do Thatcherismo estava sendo esmagado. O Partido Trabalhista havia sido brilhante na oposição. Quando Tony Blair discursava, suas palavras pareciam falar com as pessoas, com a juventude. Me chame de ingênuo, mas eu senti algo – eu não sei ao certo o que foi, mas eu senti mesmo assim.”

Em termos políticos atuais, o escritor continua em dúvida sobre a atual direção do Partido Trabalhista do Reino Unido. “Eu não estou convencido de que um governo trabalhador ao estilo dos anos 70 é uma forma de ir adiante. O estranho é que a esquerda agora está tentando preservar a existência do capitalismo, enquanto a direita tenta destruí-lo”. Para Welsh, o fim do capitalismo significa o fim da hegemonia tradicional, como percebe-se na fúria de seu personagem Begbie: “Está acontecendo uma desconstrução da masculinidade e da sexualidade e é daí que vem muita angústia”.

T2 Trainspotting, a tão antecipada sequência do filme, foi lançada no início deste ano, sendo bem recebida pela crítica. O alvoroço inclusive fez com que Welsh declarasse que ainda existe espaço para uma sequência. Sobre o status da franquia, Ewan McGregor, o protagonista do filme, recentemente o descreveu como “o Oasis dos filmes, algo maravilhoso“.