Após o lançamento do álbum Plastic Beach, em 2010, o Gorillaz passou por poucas e boas.

Separados uns dos outros, Murdoc Niccals abandonou o estúdio de gravações da banda para conseguir fugir de piratas com metralhadoras, Russel alcançou trinta metros de altura e foi capturado pela Coréia do Norte, enquanto Noodle foi parar na Ásia, onde teve vários assuntos a tratar com a máfia japonesa.

Mas, sem dúvidas, a pessoa que mais sofreu foi 2D. Engolido por uma baleia, o cantor do grupo acabou naufragando numa praia deserta e precisou passar vários meses adaptando suas habilidades de sobrevivência, apenas para perceber que não estava preso numa ilha — na verdade, o músico havia parado em Guadalupe, no México. A descoberta foi feita após o músico seguir um avião em direção à uma rave que estava sendo feita numa praia próxima.

Após ser “resgatado”, o músico finalmente se reuniu com seus colegas de banda em Londres para, enfim, gravar um novo álbum do Gorillaz.

O resultado foi Humanz, o quinto álbum de estúdio do grupo — e, com certeza, um dos mais marcantes da sua carreira. Em Humanz, o Gorillaz levou mais adiante o seu espírito “colaborador”, contando com contribuições de mais de vinte artistas de alto calibre, como Mavis Staples, Noel Gallagher, Graham Coxon, Vince Staples, De La Soul e muitos outros.

O disco também marcou uma mudança sonora bem significativa para a banda. Tido como “uma grande festa do fim do mundo”, as composições ficaram mais dançantes, e a pegada rock deu vez a arranjos e instrumentos mais eletrônicos.

A nova fase da banda definitivamente ficará gravada na carreira dos quatro membros e, para esclarecer um pouco mais sobre o que aconteceu nesses últimos anos, nós conversamos brevemente com o carismático 2D.

TMDQA!: Após muitos anos, vocês estão de volta com um novo álbum. O processo de composição dessa nova fase da banda mudou muito desde a última vez que vocês estiveram no estúdio, em 2010? Como?

2D: Não foi muito diferente. Foi um misto de alegria, dor e arrependimento. Assim é a vida, creio eu. A alegria foi ver todo mundo de novo. A dor foi a série de armadilhas medievais de “boas vindas” que o Murdoc deixou para mim. O arrependimento foi ainda estar vestindo a saia havaiana de palha para a “prova de fogo”.

TMDQA!: Esse é o hiato mais longo que a banda já teve. Várias coisas aconteceram nos últimos sete anos. Isso mudou algo no relacionamento da banda? Eu ouvi dizer que vocês passaram por maus bocados antes de se reunirem — você chegou a naufragar em uma ilha e precisou comer carne de baleia.

2D: Essa é uma pergunta difícil. Não tem uma mais fácil? Por exemplo: talvez você queira saber qual é o meu tipo favorito de chapéu? Não? Ok, então. Bom, (é um sombreiro) muita coisa aconteceu desde Plastic Beach. Primeiro, nós fomos atacados por piratas, e então eu fui comido por uma baleia enorme chamada Massive Dick. Eu passei alguns meses vagando pelo seu intestino, mas então ela morreu e eu fiquei naufragado numa praia onde aprendi muitas habilidades de sobrevivência. A mais importante era sobre como criar água potável fazendo uma dança da chuva. Minha dança deu tão certo que causou uma tempestade poderosa, mas infelizmente eu fui atingido por um relâmpago. Quando eu acordei, a chuva tinha parado e eu ainda estava com sede. Não muito depois disso, eu peguei uma carona de volta para a Inglaterra e me encontrei com os outros no estúdio.

TMDQA: As novas faixas soam bem animadas, elas têm uma pegada meio “boate”, se é que isso faz sentido. Como vocês se prepararam para escrever essas novas músicas?

2D: Muitas das nossas músicas surgem só de sermos o Gorillaz. O caos nos segue por aí, e nós tentamos tirar inspiração disso enquanto tentamos não morrer levando tiros de piratas ou sendo comidos por zumbis.

TMDQA: Você passou muito tempo longe de casa. Entre fugir de homens com metralhadoras na Plastic Beach ou então ficar náufrago por alguns meses, o que te surpreendeu mais quando você finalmente voltou pra casa?

2D: O quão velha é Londres. Eu amo isso. Desde o período Romano. Às vezes eu olho para as pedras antigas e penso como era a vida naquela época, qual seria meu emprego? Eu não seria uma estrela pop. Provavelmente eu estaria limpando a sujeira de um estábulo. Ou então partes de corpos de uma arena de gladiadores. Ah, a vida simples. Sonhar não faz mal.

TMDQA: Vocês estão começando uma turnê mundial. Vocês pretendem fazer uma turnê completa pela América do Sul? O clima é bom.

2D: Nós vamos em Dezembro, creio eu. É legal encontrar velhos fãs, mas eu não gosto quando eles me dão suas roupas íntimas. Especialmente quando estão sujas. Eu já tenho roupas demais para lavar porque o Murdoc me obriga a lavar as cuecas dele.

  
Compartilhar